Ricardo Duarte|Estadão
Ricardo Duarte|Estadão

Sem brilhar, Inter derrota Princesa do Solimões e avança na Copa do Brasil

Time gaúcho espanta zebra com triunfo por 2 a 0 em Cascavel (PR)

Felipe Rosa Mendes, Estadao Conteudo

15 Fevereiro 2017 | 23h46

Ainda não foi a atuação que a torcida colorada esperava, mas ao menos o Internacional escapou da zebra em sua estreia na Copa do Brasil, na noite desta quarta-feira. Jogando em Cascavel (PR), o time gaúcho derrotou o Princesa do Solimões, do Amazonas, por 2 a 0, e garantiu vaga na segunda fase da competição.

Pelo novo formato da Copa do Brasil, o Inter avançava mesmo em caso de empate. Mas, diante das limitações do adversário, que disputa a Série D do Campeonato Brasileiro, e da maciça presença da torcida gaúcha no estádio paranaense, o time se sentiu em casa para buscar a vitória, ainda que sem maior brilho.

O resultado ameniza as críticas da torcida pela campanha pífia no Campeonato Gaúcho - ainda sem vitórias. Mesmo assim, o técnico Antônio Carlos Zago e os jogadores não escaparam de vaias na saída do intervalo, quando o jogo ainda estava 0 a 0.

Para o duelo desta quarta, Zago promoveu mudanças na equipe e colocou Carlinhos e Carlos em campo, estreando como titulares. Discretos, acabaram sendo ofuscados por D'Alessandro e Valdivia, que só entrou na segunda etapa.

Na segunda fase da Copa do Brasil, o Inter vai enfrentar o Oeste-SP, futuro rival na Série B, em casa, em data ainda a ser definida. Esta fase da competição também é definida em jogo único, porém sem vantagem do empate para os visitantes. Em caso de igualdade, o duelo é definido em penalidades.

O JOGO

Franco favorito, o Inter dominou o Princesa do Solimões no primeiro tempo. Mas, apesar do favoritismo, viu o rival buscar o ataque com mais perigo no começo da partida. Aos 5 minutos, o goleiro Danilo Fernandes já fazia boa defesa, após finalização perigosa de Weverton.

Passada a primeira investida do time do Amazonas, a equipe gaúcha buscou o ataque, principalmente em levantamentos na área, e começou a dar trabalho para o goleiro Rasci. Carlinhos, de cabeça, e Alemão, em finalização de fora da área, assustaram a defesa amazonense.

Aos 32 minutos, Paulão subiu mais que todo mundo na área do Princesa e mandou para as redes. Porém, o árbitro anulou o lance ao alegar que a cobrança de escanteio fez curva por fora das limitações do gramado.

O zagueiro colorado protagonizou outra boa chance do Inter aos 41 minutos. Em cabeçada perigosa, encobriu o goleiro, mas viu a bola ir para fora. Na sequência, Carlos animou a torcida gaúcha ao acertar bela bicicleta. Só não levantou a torcida porque a bola passou à direita do gol de Rasci.

"Tivemos duas bolas paradas que não soubemos aproveitar. A equipe do Princesa tem uma estatura baixa", disse Paulão, ao revelar a estratégia do Inter, na saída para o intervalo da partida.

E, como o Inter dependia da defesa para atacar o adversário, o técnico Antônio Carlos Zago decidiu mudar o setor ofensivo. Trocou Diego por Valdivia, que deu nova cara ao jogo do time gaúcho no segundo tempo.

Foi dos seus pés que surgiram as melhores oportunidades do Inter. Aos 12, ele recebeu lançamento pela direita, segurou a marcação, mas acabou finalizando mal e a bola passou acima do travessão.

O meia-atacante, contudo, só precisou de três minutos para se redimir. Ele recebeu belo passe de trivela de D'Alessandro e bateu para as redes, da entrada da área: 1 a 0. O segundo gol veio aos 35, quando D'Alessandro cruzou na área e Brenner, sem marcação, dominou no peito e bateu rasteiro no canto. O autor do gol havia acabado de entrar em campo.

No último minuto da partida, o Inter ainda teve a chance de ampliar o placar, em cobrança de falta. Mas a finalização de D'Alessandro parou no travessão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.