Pilar Olivares/Reuters
Pilar Olivares/Reuters

Sem chance no exterior, atacante Henrique decide ficar no São Paulo

Jogador recua e afirma que pretende acerta com a equipe do Morumbi

Bruno Deiro, Jornal da Tarde

22 de agosto de 2011 | 22h20

SÃO PAULO - Eleito o melhor jogador do Mundial Sub-20, Henrique voltou da Colômbia disposto a romper com o São Paulo, mas nesta segunda-feira foi obrigado a recuar. O atacante, que atualmente ganha R$ 9 mil por mês, terá de aceitar a proposta de renovação feita pelo clube por causa do curto prazo para acertar com times do exterior - a janela europeia de transferências fechará no dia 31.

"Achamos que o melhor para ele é ficar no País e negociar um novo acordo com o São Paulo. Ele pode continuar com o contrato anterior (até 2013), mas ganhando um aumento de salário, ou fazer um novo contrato com o clube", diz Giuliano Bertolucci, empresário de Henrique.

Bastante valorizado pelo título mundial, o atacante disse ao desembarcar no País que queria deixar o São Paulo. Nesta segunda, orientado por seu empresário, Henrique optou por um discurso mais brando. "Quero acertar com o São Paulo. Estou esperando o meu empresário e o clube resolverem minha situação", disse o jogador, que ganhou folga até quinta-feira. "Como não estou inscrito na Sul-Americana, não precisaria concentrar e pedi para ser liberado."

Além do problema salarial, Henrique reclama de falta de oportunidades. "Não falo que quero ser titular, mas quero ter sequência. Não adianta jogar dez, 15 minutos no fim das partidas. Entrei só três vezes como titular em três anos. Fui para a seleção graças à minha passagem pelo Vitória, no ano passado."

Os dirigentes são-paulinos tratam o caso com cuidado para evitar que se repita o imbróglio que resultou na saída de Oscar - o meia, hoje no Internacional, também é empresariado por Bertolucci. Daquela vez, porém, o clube tinha dívida de FGTS com o jogador e seu empresário conseguiu, com isso, a liberação na Justiça.

"Em comum, há o empresário, que quer dar o mesmo desfecho ao caso", disse o vice-presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva. "A renovação estava sendo tratada antes do Mundial e até chegamos a um acordo, mas ele (Henrique) mudou de ideia."

O dirigente admite, no entanto, que o bom desempenho do jogador na Colômbia obriga o clube a repensar a proposta. "Claro que a valorização que o jogador teve influencia na renovação, pois ele se tivesse ido mal no torneio o clube veria de outro jeito esse assunto."

Nesta segunda, as partes iniciaram as negociações para o aumento de Henrique. A primeira oferta de salário, feita antes do Mundial, foi recusada pelo jogador.

Mais um descontente. Outro que estava no Mundial Sub-20 e voltou insatisfeito é Casemiro, que tem proposta do futebol italiano e dificilmente continuará no clube. O volante, porém, está inscrito na Sul-Americana e deverá jogar na quarta contra o Ceará. Nesta segunda, ele se apresentou normalmente no CT.

Assim como Henrique, o atacante Willian José está fora do confronto pela Sul-Americana e também ganhou folga até quinta-feira. Já o zagueiro Bruno Uvini retornou com uma lesão no tornozelo direito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.