Peter Powell/EFE
Peter Powell/EFE

Sem Cristiano Ronaldo, Manchester United sofre, mas avança na Copa da Inglaterra

Astro português foi cortado da partida por conta de uma problema muscular não especificado pelo treinador

Redação, Estadão Conteúdo

10 de janeiro de 2022 | 19h20

Sem poder contar com Cristiano Ronaldo nesta segunda-feira, o Manchester United voltou a fazer uma exibição abaixo do esperado e quase se complicou na Copa da Inglaterra. O time comandado por Ralf Rangnick obteve uma apertada vitória sobre o Aston Villa, por 1 a 0, em casa, e se garantiu na quarta fase. Seu próximo adversário será o Middlesbrough, da segunda divisão.

O atacante português foi cortado da partida por conta de uma problema muscular não especificado pelo treinador. Rangnick informou apenas que a lesão seria de pouca gravidade e que decidiu vetar o ídolo apenas por precaução. "Faria mais sentido não correr nenhum risco em um jogo que pode facilmente durar 120 minutos, então decidimos deixá-lo descansando e não jogar", declarou.

O craque deve voltar ao time já no sábado para novo confronto com o Aston Villa, time treinado por Steven Gerrard, desta vez em rodada do Campeonato Inglês.

Cristiano Ronaldo não foi o único titular poupado. Rangnick escalou uma equipe mista, contando com o volante brasileiro Fred entre os 11. Cavani, que era alvo do Corinthians, também começou jogando. O uruguaio formou trio de ataque com Rashford e Greenwood.

O único gol da partida saiu logo aos 7 minutos e contou com participação brasileira. Fred levantou na área e McTominay escorou de cabeça para as redes. Apesar da vantagem no placar, o Manchester não dominava o jogo e tinha dificuldade para se impor no campo do adversário.

O Aston Villa encontrava cada vez mais espaços na defesa dos anfitriões. Aos 29, Watkins carimbou o travessão após falha de Lindelof na defesa. O zagueiro errou feio ao tentar dominar a bola, acertou uma canelada em recuo não intencional para o goleiro e quase causou o empate no jogo.

O equilíbrio foi mantido no segundo tempo. E a torcida do Manchester levou um susto aos quatro minutos. Após cobrança de falta na área, Konsa escorou de cabeça e Ings completou, de coxa, para as redes, quase em cima da linha. O gol foi anulado com ajuda do VAR por impedimento.

A segunda metade da etapa final também foi de emoções, com chances para os dois lados. E com o Manchester United sofrendo riscos até os minutos finais. A defesa se debateu até o apito final para evitar o empate e garantir a classificação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.