Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Sem Cueva, mas embalado, Santos visita o Botafogo em busca do 5º triunfo seguido

Jogando apenas o Brasileiro, vice-líder faz sua segunda partida consecutiva fora de casa e quer manter sequência

Redação, Estadão Conteúdo

21 de julho de 2019 | 09h24

Embalado pela vitória fora de casa sobre o Bahia na rodada anterior, o Santos faz sua segunda partida consecutiva pelo Campeonato Brasileiro longe de seus domínios. O adversário é o Botafogo, neste domingo, às 11 horas, no Engenhão, e o objetivo é alcançar o quinto triunfo seguido no torneio.

O time paulista soma 23 pontos e é o vice-líder da competição, atrás apenas do Palmeiras, justamente o único rival que derrotou o Santos até aqui. Depois de levar 4 a 0 para o time alviverde, a equipe do técnico Jorge Sampaoli empatou sem gols com o Internacional e engatou uma sequência de quatro vitórias.

Um dos trunfos do Santos para roubar a liderança do Palmeiras é o fato de o time alvinegro estar concentrado apenas no Brasileirão, já que foi eliminado precocemente da Copa Sul-Americana e da Copa do Brasil, enquanto o seu rival paulista e seus principais concorrentes pelo primeiros lugar têm de dividir suas atenções para mais de um torneio.

O volante Jobson e o meia Cueva são os únicos jogadores com os quais Sampaoli não poderá contar no duelo no Rio. O peruano está fora do jogo pois foi liberado a viajar ao seu país natal para visitar o seu terceiro filho, que nasceu de forma prematura, de sete meses. A previsão é de que o jogador retorne na próxima ao Brasil na próxima terça, dia de folga ao elenco. Jobson é desfalque pois se recupera de entorse no tornozelo direito.

Pelo que indicou nos últimos treinamentos, Sampaoli pode promover a entrada de Jean Mota entre os titulares no lugar do zagueiro Gustavo Henrique, que começou a última partida diante do Bahia. O jogador, destaque do time no Paulistão, formaria uma trinca de meio-campistas com Pituca e Sánchez.

"Tenho que me adaptar, ele (Sampaoli) falou comigo e pretende me usar mais assim. Já treinei de extremo, mas posição para eu brigar é nessa função. Pode ser ele que mude botando o meia e eu estaria ali", disse Jean Mota.

No ataque, a dúvida é por conta da presença ou não de Marinho. A tendência é de que ele comece como suplente e Soteldo, Sasha e Uribe permaneçam na formação titular.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.