Sem dar show, Espanha supera retranca e vence Iraque

David Villa fez o gol do 1 a 0 que garante a segunda vitória e a classificação para as semifinais do torneio

AE, Agência Estado

17 de junho de 2009 | 13h06

Martin Meissner/AP

David Villa sobe para cabecear a bola e marcar o gol da vitória espanhola sobre a seleção iraquiana

BLOEMFONTEIN -A Espanha não repetiu o espetáculo da estreia, mas jogou com eficiência e venceu o Iraque por 1 a 0, nesta quarta-feira, pelo Grupo A da Copa das Confederações. Os espanhóis tiveram dificuldades para superar a defesa adversária, mas David Villa marcou no segundo tempo e garantiu a classificação da equipe às semifinais.

Veja também:

linkDavid Villa comemora gol e prevê mais dificuldades

linkTécnico do Iraque comemora atuação contra a Espanha

Copa das Confederações 2009 - tabela Classificação

Copa das Confederações 2009 - lista Calendário

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Com o resultado, a equipe espanhola iguala o recorde de vitórias seguidas entre seleções - chega a 14 jogos, mesma marca que conseguiram Austrália (1996/97), Brasil (1997) e França (2003/04). Além disso, a equipe atinge a marca de 34 partidas invicta, uma a menos do que o Brasil conseguiu entre 1993 e 1996.

O técnico espanhol Vicente del Bosque poupou quatro titulares para a partida - os jogadores estavam desgastados após a vitória por 5 a 0 sobre a Nova Zelândia, no domingo. Os defensores Raul Albiol e Puyol deram lugar a Pique e Marchena; no meio-campo, Fabregas e Riera foram substituídos por Cazorla e Mata.

A seleção do Iraque entrou em campo disposta a não levar gols. Com cinco jogadores de defesa e apenas Abdul Zahra no ataque, a equipe comandada por Bora Milutinovic seguiu à risca as orientações do treinador e quase conseguiu um empate histórico.

 ESPANHA1
Casillas; Sergio Ramos, Piqué, Marchena     e Capdevila; Cazorla (David Silva), Mata, Xavi (Busquets) e Xabi Alonso    ; David Villa (Guiza) e Fernando Torres.
Técnico: Vicente del Bosque
 IRAQUE0
Mohamed Kassid; Basem Abbas    , Salam Shaker, Ali Hussein Rehema, Fareed Majeed e Mohamed Ali; Muayad Khaid, Hawar Mulaa Mohammed (Karrar Jasim), Nashat Akram e Samer Saeed (Mahdi Kareem); Abdul Zahra (Younis Mahmoud).
Técnico: Bora Milutinovic
Gols: David Villa, aos 9 minutos do segundo tempo.

Árbitro: Matthew Breeze (AUS)

Público: Não disponível

Estádio: Free State, em Bloemfontein (África do Sul)

Os espanhóis tentaram durante todo o primeiro tempo furar a defesa iraquiana. Mas não conseguiu, nem nas bolas lançadas na área, nem tocando pelo centro do campo. Diante das dificuldades, os espanhóis passaram a arriscar chutes de fora da área, mas não acertaram o alvo.

A atual campeã europeia voltou com a mesma formação no segundo tempo, e continuou pressionando o iraquianos. Aos 9 minutos, o esforço enfim foi recompensando. Depois de jogada pela esquerda, Capdevilla cruzou para a área e David Villa cabeceou para abrir o placar.

O gol deu tranquilidade aos espanhóis. Como o Iraque não atacava muito, os europeus puderam trabalhar com mais paciência antes das conclusões em gol. Aos 13 minutos, Xabi Alonso arriscou chute de fora da área, e o goleiro Mohamed Kassid fez boa defesa.

A Espanha continuou dominando a partida e até criou chances de aumentar a vantagem, novamente com David Villa e Xabi Alonso. Na metade final do segundo tempo, Vicente del Bosque retirou Villa e Cazorla de campo, para as entradas de Guiza e David Silva.

A falta de presença ofensiva dos iraquianos e a preocupação com o desgaste físico fez os espanhóis cadenciarem a partida, com muito toque de bola no campo de ataque. Os iraquianos ainda tentaram arriscar nos minutos finais, mas não levaram perigo ao gol defendido por Casillas.

A vitória deixa a Espanha com seis pontos, na liderança absoluta do Grupo A, e com vaga certa na fase decisiva. Às 15h30 desta quarta, neozelandeses e sul-africanos fecham a segunda rodada.

Os espanhóis voltam a campo no sábado, novamente em Bloemfontein, contra a África do Sul. Já os iraquianos jogam sua classificação diante da Nova Zelândia, em Rustemburg, de olho em uma vaga nas semifinais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.