Susana Vera/Reuters
Susana Vera/Reuters

Sem espaço com Solari, Isco festeja volta de Zidane ao Real Madrid

'É uma boa notícia para todos', afirma o meia que teve poucas chances com o antecessor

Redação, Estadão Conteúdo

14 de março de 2019 | 16h55

Isco é um dos jogadores do Real Madrid mais felizes com o retorno do técnico Zinedine Zidane, anunciado na última segunda-feira como novo comandante da equipe na qual anteriormente se consagrou como jogador e como treinador. Sem grandes oportunidades no time titular enquanto a equipe era dirigida por Santiago Solari, demitido do cargo, o meia não economizou elogios ao ídolo francês.

"É uma boa notícia para todos. Em sua primeira passagem foi impressionante. Ganhou tudo. Espero que ele possa nos levar de volta ao caminho das vitórias", disse o jogador, nesta quinta-feira, na capital espanhola, durante evento de um de seus patrocinadores.

Em relação a esta temporada europeia, Isco admite o mau momento atravessado pelo time madrilenho, mas confia no ressurgimento da equipe. "O Real Madrid é obrigado a vencer todos os títulos. Embora este ano não tenha sido nosso, temos a confiança de que voltaremos mais fortes que nunca. Nossa história nos obriga. Teremos de recuperar títulos na próxima temporada e precisamos começar a trabalhar agora."

Apesar de o time ter poucas chances de conquistar o título do Campeonato Espanhol, Isco afirmou que a proposta do time é ganhar o máximo de jogos até o fim da competição. "A liga (espanhola) é muito difícil, mas temos que obter o máximo de pontos possível, encurtar a distância para os líderes na classificação. A mudança para a próxima temporada começa agora", ressaltou

O Real Madrid é apenas o terceiro colocado no Espanhol, com 51 pontos, 12 a menos que o líder Barcelona. O Atlético de Madrid, segundo colocado, soma 56. Restam 11 rodadas para o término do torneio. Os comandados de Zidane voltam a campo pela competição neste sábado, às 12h15 (de Brasília), contra o Celta, no Santiago Bernabéu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.