Sem estrelas, Corinthians busca vaga

Ainda desfalcado do técnico Carlos Alberto Parreira, do meia Ricardinho e do volante Vampeta, todos envolvidos com a Copa do Mundo, o Corinthians vai para a disputa de um jogo decisivo contra o Náutico, neste domingo, às 16 horas no Estádio Mangueirão, em Belém, pela Copa dos Campeões. O time e o técnico interino, Jairo Leal, entram em campo sabendo queprecisarão conseguir um resultado melhor do que o empate por 1 a 1 contra o Paysandu para não ficar sob a ameaça de ficar de fora da próxima fase. Leal acredita que o jogo contra o atual campeão pernambucano deverá ser bem diferente ao do Paysandu e não só por causa do calor. "Para começar, não vamos enfrentar o time da casa", afirmou o técnico lembrando que o Paysandu se superou estimulado pela torcida. Outro diferencial, segundo ele, é que o Náutico enfrentou o Fluminense sob efeito da decisão do Campeonato Pernambucano dias antes, o que não deve acontecer contra o Corinthians. Sobre a equipe de Muricy Ramalho, Leal está preparado para enfrentar um time diferente daquele que empatou sem gols contra o Fluminense na primeira rodada. O treinador afirmou que o time pode tanto atuar no 3-5-2, que trouxe dificuldades para o time carioca, quanto no 4-4-2, utilizado em algumas das partidas decisivas do Campeonato Pernambucano. "Eles variam conforme o adversário." Na composição do time, o único jogador que preocupava era o atacante Leandro, que tomou uma pancada no jogo contra o Paysandu, mas treinou normalmente. O lateral Rogério acredita que a vitória sobre o time pernambucano é fundamental para que o Corinthians não fique na total dependência do resultado do clássico contra o Fluminense."Acredito que o mais importante será envolver o Náutico com toque de bola", disse o jogador, lembrando que o time errou ao ser muito afobado no jogo contra os paraenses, o que não devevoltar a acontecer. O atacante Deivid não teme o esquema de três zagueiros que impediu os avanços do Fluminense. "Na minha opinião até gosto de jogar contra times neste esquema porque atuamos comtrês atacantes e ficamos no um-contra-um", diz o jogador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.