Fábio Motta/AE
Fábio Motta/AE

Sem Fred, ataque do Fluminense terá Willians na Copa Libertadores

Equipe do técnico Muricy Ramalho estreia nesta quarta diante do Argentinos Juniors

AE, Agência Estado

08 de fevereiro de 2011 | 20h52

RIO - Sem Fred, suspenso por conta da expulsão na final da Copa Sul-Americana de 2009, seu último jogo em competições continentais, o técnico Muricy Ramalho teve que improvisar para armar o ataque titular do Fluminense na estreia da Copa Libertadores, nesta quarta-feira, contra o Argentinos Juniors. O meia-atacante Willians será o parceiro de Rafael Moura no setor ofensivo.

Depois de brilhar no Vitória, Willians foi emprestado para o Palmeiras, mas não correspondeu às expectativas. Transferido para o Fluminense em 2010, também não brilhou e estava na lista de dispensa para esta temporada. Determinado, conseguiu demover Muricy Ramalho da ideia.

"Em 2010, ele se contundiu muito, seu custo-benefício era muito baixo e podia ter sido dispensado no fim da temporada. Mas a gente nunca pode desistir das pessoas", comentou o treinador. "Levei Willians para a pré-temporada (em Mangaratiba) e ele demonstrou em campo que poderia ficar. Ele me convenceu ali."

Motivado, Willians avisou que fará de tudo para conquistar ainda mais a confiança do treinador, a quem é grato pela oportunidade. "Fiz academia durante as férias. Me cuidei para render bem neste ano. Papai do Céu é maravilhoso!", disse o meia.

Willians, Muricy e o Fluminense começam nesta quarta-feira uma trajetória que tem um só objetivo: a conquista de um inédito título continental. "A Libertadores é importante para o clube e a torcida, mas todas as competições que disputo são importantes. Temos de entrar para conquistar qualquer campeonato", justificou Muricy, que dirigiu o São Paulo quatro vezes na Libertadores, tendo sido demitido depois da eliminação da edição de 2009.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa LibertadoresFluminense

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.