Ivan Storti/ Santos FC
Ivan Storti/ Santos FC

Sem gols pelo Santos, Uribe se declara ao Toluca e sonha com volta ao México

Atacante colombiano tem vínculo longo com o clube paulista até junho de 2022

Redação, Estadao Conteudo

30 de abril de 2020 | 00h09

Ainda sem ter marcado gols pelo Santos, Fernando Uribe indicou o desejo de voltar ao país e ao clube onde viveu os melhores momentos da sua carreira. O atacante colombiano destacou ter um vínculo longo com o clube paulista, até junho de 2022, mas afirmou que gostaria de jogar novamente no futebol do México, onde estava até ser contratado para jogar no Brasil.

"Eu gostaria de voltar. Meu sonho é voltar a jogar no México, uma liga onde sempre me senti bem, um país que tratou bem a mim e minha família. Minhas filhas têm amizades pelos colégios onde estudaram. Eu gostaria, seria lindo voltar. Tenho dois anos (de contrato) no Santos, mas a possibilidade de sair sempre existe. É uma possibilidade latente a cada seis meses. Não se pode descartar nada", disse, em entrevista ao site mexicano Bola Vip.

Uribe estreou pelo Santos em junho de 2019. Ele já disputou 14 jogos pelo clube, mas não marcou nenhum gol pelo time, sendo que vinha sendo pouco aproveitado por Jesualdo Ferreira antes da pausa das competições, tanto que só atuou três vezes em 2020, perdendo espaço para nomes como Eduardo Sasha, Yuri Alberto e Kaio Jorge.

No México, Uribe atuou pelo Toluca entre 2015 e 2018, com 61 gols marcados em 119 partida. Foi, até hoje, o seu auge no futebol, o levando a despertar interesse e a se transferir para o Flamengo. E o atacante de 32 anos citou o carinho pelo time mexicano, indicando que gostaria de vestir a camisa do clube no futuro.

"Toluca foi onde melhor me senti e onde mais tempo estive. Foram três anos ali, me senti muito bem, muito feliz. Saí por uma situação que eu não queria no momento. Meu contrato acabou e meu empresário tentava a renovação, mas as reuniões não foram produtivas e não conseguiram a renovação. Eu sigo acompanhando o time, me tornei um torcedor a mais pelo tempo que joguei e estou sempre querendo saber como está", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.