Sem grandes contratações, São Paulo aposta em evolução do elenco

Marco Aurélio Cunha aponta a falta de opções no mercado e atesta que poucos jogadores estão voltando ao Brasil

Nathalia Garcia - estadão.com.br,

14 de julho de 2010 | 13h11

Com a proximidade da abertura da janela de transferências, que deve ocorrer em primeiro de agosto, a diretoria do São Paulo começou a busca por reforços na retomada do Campeonato Brasileiro, interrompido por causa da Copa do Mundo. Mas a procura não tem sido fácil e Marco Aurélio Cunha, superintendente de futebol, aponta a falta de opções como o maior problema para novas contratações. Sendo assim, ele valoriza os jogadores que permanecem no elenco.

Veja também:

linkSão Paulo quer manter embalo em reestreia contra o Avaí

linkAvaí tem muitas mudanças para enfrentar o São Paulo

linkRicardo Gomes não comenta assumir seleção

linkRicardo Gomes dá nova chance a Washington após intertemporada

"Só tem gente de saída e ninguém de entrada. Estamos sempre atrás, mas não tem muita alternativa, o mercado está escasso e não tem muita gente voltando para o Brasil. De qualquer forma, o time está muito bem treinado, o Dagoberto está em grande fase, o Junior César voltou a jogar bem. Quem teve uma queda, subiu", avalia.

Neste meio do ano, o clube tricolor contratou apenas Samuel, oriundo do Joinville, e o volante Casemiro, promovido das categorias de base. A diretoria ainda está de olho em Ilsinho para substituir Cicinho, que foi devolvido ao Roma, porém aguarda uma decisão da Fifa para solucionar o problema contratual do jogador com o time ucraniano Shakhtar Donetsk-UCR. Outro atleta visado é o atacante da Al Jazira, Ricardo Carvalho, que se recupera de lesão no Reffis.

Marco Aurélio Cunha também comentou sobre as propostas feitas aos jogadores são-paulinos e reconhece que o clube tem feito vendas menores, que servem para equilibrar o caixa. "As ofertas vieram como todo ano para jogadores como Hernanes e Miranda, mas até hoje não aconteceram. Não há nada de concreto. Os outros mercados também estão em crise", disse o superintendente.

Nesta temporada, o São Paulo não teve grandes vendas. O primeiro a deixar o clube foi André Dias, negociado com a Lazio, da Itália, por 2,5 milhões de euros (aproximadamente 6,5 milhões de reais). Depois foi a vez de Léo Lima, transferido para o Al Nasr, dos Emirados Árabes, por 3,5 milhões de reais.

A última notável negociação feita pelo São Paulo foi com a saída de Breno em janeiro de 2008. O zagueiro foi para o Bayern de Munique por 18 milhões de dólares (cerca de 31 milhões de reais).

Entre idas e vindas, o time-base da equipe tricolor para o segundo semestre conta com: Rogério Ceni; Jean, Miranda, Alex Silva, Junior César; Hernanes, Rodrigo Souto, Richarlyson, Marlos; Dagoberto, Fernandão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.