Daniel Augusto Jr./Corinthians
Daniel Augusto Jr./Corinthians

Sem Guerrero e Sheik, Corinthians economiza R$ 1 milhão por mês

Crise financeira acelera fim de ciclo para campeões do mundo 

Vítor Marques, O Estado de S.Paulo

23 de maio de 2015 | 07h00

A crise financeira levou o Corinthians a anunciar a saída dos seus atacantes titulares: Emerson Sheik e Guerrero, a dupla responsável pelos títulos da Libertadores e Mundial. 

Numa entrevista marcada pelo tom de sinceridade, o presidente Roberto de Andrade foi claro: não há dinheiro. “Chega de contratar, prometer e não cumprir. É muito simples aceitar a proposta do Guerrero, mas não tenho como assumir isso enquanto não arrumarmos as finanças.”


Sheik recebe R$ 520 mil por mês, e a diretoria decidiu que seu contrato não será renovado – termina no dia 30 de julho. O alto salário, a queda de rendimento técnico e o comportamento extracampo pesaram na decisão.

Guerrero seria uma exceção. O clube aceitaria pagar R$ 500 mil por mês, mas o peruano exige R$ 18 milhões de luvas para assinar um novo contrato (o vínculo termina dia 15 de julho). O atacante, que vai disputar a Copa América pelo Peru, pode mudar de clube e defender outra equipe no Brasil.

“Tentamos de todas formas, mas eu sinto muito como torcedor e como presidente. Vamos sentir falta dele, mas o Corinthians continuará e forte”, disse Roberto de Andrade.

Sem Sheik e Guerrero, o Corinthians economizará R$ 1 milhão por mês. A saída de outros atletas campeões do mundo ocorrerá no fim do ano, quando terminam os contratos de Ralf, Danilo e Fábio Santos.

Essa reformulação foi antecipada pela eliminação na Copa Libertadores – as derrotas para o Guaraní, do Paraguai, nas oitavas de final. Tite era favorável à manutenção do grupo, principalmente a de Guerrero. Mas avisou que não é manager.

“Participo das reuniões (com a diretoria), cada um dá o seu aval, mas o aspecto financeiro foge da minha alçada”, afirmou o treinador.

DIRETOR ENTREGA CARGO

A crise, no entanto, foi além do aspecto financeiro. O diretor de futebol Sergio Janikian pediu demissão depois de três meses no cargo. Considerado inexperiente para a função por gente de dentro do clube, ele deu uma declaração desastrosa antes do jogo contra o Guaraní. Ele disse que foi um “presente de Deus” enfrentar o time paraguaio nas oitavas de final da Libertadores.

Além disso, o principal reforço contratado este ano foi afastado por um período de 15 dias. Mal fisicamente, Vagner Love fará um trabalho à parte, voltado para ganhar força física. Essa é a aposta para suprir a saída de Guerrero.

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansGuerreroEmerson Sheik

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.