Arquivo/AE - 23/02/2008
Arquivo/AE - 23/02/2008

Sem investidor, Palmeiras sofre para fechar com volante Wesley

Presidente do clube, Arnaldo Tirone, admitiu que está difícil concretizar o acordo

DANIEL AKSTEIN BATISTA, Agência Estado

15 de fevereiro de 2012 | 18h02

SÃO PAULO - A novela continua. A diretoria do Palmeiras teve outra reunião nesta quarta-feira, mas ainda não conseguiu fechar a contratação do volante Wesley. E o presidente do clube, Arnaldo Tirone, admitiu que está difícil concretizar o acordo para ter o esperado reforço.

O Palmeiras chegou a acertar a compra do jogador com o Werder Bremen por 6 milhões de euros, mas ficou sem o dinheiro do investidor que também entraria no negócio. Agora, tenta abaixar o preço. Mas o clube alemão não parece muito disposto a reduzir o valor previamente fechado.

"A gente tinha uma proposta de acerto desde que viesse um investidor. Como não veio o investidor, mudamos a proposta e o Werder não aceitou", contou Tirone, ressaltando que a diretoria do Palmeiras ainda trabalha para conseguir concretizar a contratação do jogador.

Segundo Tirone, os valores da contratação ficaram "muito altos" para o Palmeiras depois da saída do investidor que participaria do negócio. Ele, inclusive, lembrou que o clube teria que pagar impostos de cerca de 1 milhão de euros, além dos 6 milhões de euros da contratação.

Wesley está no Brasil desde o fim de semana e, disposto a jogar no Palmeiras, já acertou os salários com o clube. A diretoria palmeirense mantém o grande interesse na contratação do reforço, mas vem enfrentando agora dificuldades para concretizar o negócio.

Para acalmar a torcida, Tirone prometeu buscar outros reforços caso o Palmeiras não consiga fechar com Wesley. "Se a gente não contratar o Wesley, vamos trazer outros dois jogadores", avisou o presidente palmeirense, ressaltando, porém, que eles viriam "até o final do ano".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.