Divulgação
Divulgação

Sem investidores, CT das categorias de base do Corinthians emperra

Clube ainda busca empresas para captar recursos para obra

Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

31 Março 2015 | 06h30

Tratado como prioridade desde a gestão de Mário Gobbi, o CT das categorias de base do Corinthians não tem dinheiro nem precisão de entrega. A obra, ao lado do CT do profissional, no Parque Ecológico, foi lançada em janeiro de 2013, mas nem passou do estágio inicial e os prédios e alojamentos não começaram a ser levantados.

O local será construído com dinheiro captado via Lei de Incentivo ao Esporte, mas até agora o clube ainda não conseguiu encontrar empresas dispostas a repassar parte dos impostos devidos para a obra.

O clube foi autorizado pelo Ministério do Esporte a captar mais de R$ 41 milhões, divididos em três etapas: R$ 12.299.291,69, depois R$ 12.946.449,67 e, por fim, mais R$ 15.985.181,54.

Até agora, foram captados apenas R$ 2,8 milhões. As maiores patrocinadoras foram a Ambev, que repassou R$ 1,5 milhão, e a construtora Odebrecht, com R$ 1 milhão. Pela Lei de Incentivo ao Esporte, pessoas físicas podem realizar a dedução do Imposto de Renda de até 6% do valor devido. Para pessoas jurídicas, o teto é de 1% (lucro real).

“Estamos trabalhando e conversando com algumas empresas para viabilizar os recursos para continuar tocando a obra. Estamos tocando na nossa velocidade, concordo que ela não é muito rápida, mas estamos fazendo”, disse ao Estado do presidente do Corinthians, Roberto de Andrade.

Por enquanto, o clube ainda está construindo os campos de treinamento. O próximo passo é iniciar as obras mais complexas e caras. “Estamos fazendo o orçamento da parte da alvenaria, que a gente acha que o clube pode dar início com recursos próprios. A meta é que a gente termine o quanto antes. É prioridade número zero”, explicou Andrade.

Os garotos da base estão sem lugar fixo para treinar desde o fim do CT de Itaquera para a construção do novo estádio do clube no local. Nesse período, a base foi fragmentada e passou pela Fazendinha e Guarulhos. Com a inauguração do CT, a ideia da diretoria é integrar a linha de trabalho com o profissionais.

O centro de treinamento vai ocupar uma área de 59 mil m² e terá três campos oficiais, um campo de grama sintética, mini-estádio com capacidade para 2 mil pessoas, piscina, vestiários para quatro categorias, Departamento Médico, academia, mini-escola, auditório, refeitório e alojamentos para 150 jogadores.

Mais conteúdo sobre:
Futebol Corinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.