Cesar Greco. Ag. Palmeiras
Cesar Greco. Ag. Palmeiras

Sem atuar desde maio, Felipe Pires se diz ansioso para jogar no Palmeiras

Atacante não teve chances de atuar depois de ser comprado pelo Hoffenheim

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

18 de janeiro de 2019 | 11h00

O atacante Felipe Pires vive uma ansiedade extra pelo início das competições oficiais em 2019. O jogador trazido pelo Palmeiras em dezembro, emprestado pelo Hoffenheim, da Alemanha, não joga desde maio, quando ainda estava no futebol austríaco. Depois de não ter chances de atuar e ficar na reserva, ele está na expectativa para mostrar serviço durante este contrato de um ano de duração.

Comprado pelo Hoffenheim no meio de 2018, ele não foi escalado uma vez sequer. Por isso, a diretoria aceitou liberá-lo de empréstimo. "No Hoffenheim, não pude jogar por opção do treinador. Ele falava que era por tática, mas eu treinava todos os dias e, infelizmente, a oportunidade não veio", afirmou Felipe Pires em entrevista coletiva. No clube alemão ele disputava posição com outros cinco atletas.

Felipe Pires passou quatro anos na Europa, com destaque para passagens na Áustria. O atacante foi campeão do campeonato local e da Copa da Áustria pelo Red Bull Salzburg, para onde foi em 2014 depois de ter iniciado a carreira no Red Bull Brasil. O primeiro contato com o Palmeiras foi no meio do ano. A diretoria alviverde encontrou no jogador uma boa saída para ser substituto de Keno, vendido ao futebol egípcio.

"Da Europa, acompanhei o Palmeiras e vi que necessitava de um jogador pela ponta. Acompanhei o Keno desde o Santa Cruz, é um grande jogador, com as mesmas características que eu, procura o drible, é rápido. Vi que o Palmeiras estava precisando de ponta e foi atrás de mim e do Carlos Eduardo", disse o jogador, que fez os primeiros treinos da temporada como titular.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.