Sem liderança, Corinthians inicia semana pressionado

A derrota no clássico diante do Santos, por 3 a 1, no Estádio do Pacaembu, tirou o Corinthians da liderança do Campeonato Brasileiro após 17 rodadas seguidas no topo. Agora terceira colocada, com 43 pontos, a equipe começa a semana sob crise. Após a partida do último domingo, integrantes de uma torcida organizada tentaram entrar no vestiário para falar com o técnico Tite e acabaram sendo atendidos pelo diretor Edu Gaspar.

AE, Agência Estado

19 de setembro de 2011 | 10h36

"Peço que respeitem a minha conduta, não falo com ninguém", disse Tite, na entrevista coletiva do lado de dentro dos vestiários. "Devo explicações ao meu comando (diretoria)", completou. "Se não conversasse, a ira poderia ser maior. Disse a eles para terem tranquilidade, estamos trabalhando em busca do título", revelou Edu.

Quem acompanhou o início de campeonato da equipe jamais imaginou que a crise se instalaria no Parque São Jorge. Foram nove vitórias e um empate nos dez primeiros jogos. Porém, o Corinthians sofreu uma queda vertiginosa na competição. Uma derrota no clássico desta quarta-feira, diante do São Paulo, pode aumentar ainda mais a crise.

Cientes do momento complicado, os jogadores sabem que mais cobrança pode ocorrer, caso a equipe não reaja imediatamente no Campeonato Brasileiro. "É um direito da torcida cobrar e a gente tem de aceitar", afirmou o zagueiro e capitão do time, Chicão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.