Sem Luiz Gustavo, Felipão pode optar por três zagueiros

Outra opção é Fernandinho atuar de primeiro volante, com Paulinho ou Ramires ao seu lado

Robson Morelli - Enviado especial a Teresópolis, O Estado de S. Paulo

30 de junho de 2014 | 05h00

Felipão teve apenas meia folga ontem. Embora não tenha trabalhado na Granja Comary, em Teresópolis, começou a redesenhar o Brasil em casa mesmo, após a batalha do Mineirão contra os chilenos, anteontem, em que conseguiu a vaga para as quartas de final após empate de 1 a 1 no tempo normal, 0 a 0 na prorrogação, com uma bola no travessão de Julio Cesar, e 3 a 2 nos pênaltis.

Os jogadores começam hoje a treinar para o jogo com a Colômbia, em Fortaleza, e alguns deles, como Neymar, farão tratamento intensivo para se recuperar e poder atuar na sexta.

A seleção tem baixa de peso. Felipão não contará com Luiz Gustavo, suspenso. Se quiser se adiantar aos fatos, o problema aumenta, uma vez que o elenco tem agora seis jogadores pendurados com um cartão amarelo. A Fifa determina que os cartões de todas as seleções sejam anulados a partir da semifinal, mas se o atleta pendurado nas quarta receber a segunda advertência, terá de cumprir suspensão automática na semifinal. Os pendurados do Brasil são Neymar, Ramires, Daniel Alves, Thiago Silva, Hulk e Jô.

Para a partida na Arena Castelão, contra outro rival sul-americano, Luiz Gustavo fará falta. Ele tem sido o ponto de equilíbrio da equipe. A ausência do volante da voz grossa e das poucas risadas abre uma brecha no meio, para Paulinho ou Ramires. "Infelizmente, tomei o segundo cartão, mas conseguimos o nosso objetivo e quem entrar vai fazer da melhor forma. É difícil evitar o cartão, ainda mais na minha posição. Não tem como pensar duas vezes. Tem de ter a definição e fazer o que vem na cabeça. Infelizmente, vou ficar fora, mas pude ajudar o time a dar mais um passo."

Candidatos não faltam para seu lugar. Felipão tem pelo menos quatro opções e um sistema tático diferente. Na troca pura e simples de um por outro, a melhor opção é Ramires. Dessa forma, o técnico seguraria Fernandinho para a função de primeiro volante, a mesma de Luiz Gustavo, e deixaria o jogador do Chelsea como terceiro homem do lado direito. Paulinho, que era titular e perdeu espaço pelas más atuações, tem chance de voltar.

Fernandinho já se adiantou ao chefe e disse que faz a função de Luiz Gustavo sem problemas. "Acho que o Felipão vai analisar as opções que tem. Eu sou capaz de atuar como primeiro volante, mas ele pode usar um zagueiro também."

Felipão chegou a afirmar que o Brasil, além das peças de reposição à altura, também tem mais dois esquemas táticos preparados, que mudariam a maneira de a seleção se posicionar. Um deles pode ser usado contra a Colômbia, na sexta-feira.

Sem Luiz Gustavo, o time poderia ter mais um zagueiro, que ficaria à frente da dupla de defensores titulares. As cartas de Felipão para isso são duas, e nem precisaria embaralhar tanto. David Luiz poderia ser deslocado e Dante assumiria seu posto ao lado de Thiago Silva. A outra, a mais provável, é apostar em Henrique como volante improvisado, sem avançar tanto. Nessa formação, Fernandinho e Oscar jogariam no meio.

O elenco se reapresenta hoje no Rio, de onde parte no ônibus da Fifa para Teresópolis. Almoça junto e treina à tarde. Essa rotina vai até quarta, quando embarca para Fortaleza. Até lá, Felipão já terá feito sua escolha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.