Felipe Rau/AE
Felipe Rau/AE

Sem marcar gol no Santos há 6 jogos, Neymar não se abala com jejum

'Se o Santos continuar ganhando e eu não fizer gol está bom demais', disse o craque

Sanches Filho, Agência Estado

10 de setembro de 2011 | 20h34

SANTOS - Ainda não foi neste sábado que Neymar quebrou o jejum de gols no Santos. O talentoso jogador disputado por Barcelona e Real Madrid está sem marcar desde o nascimento do seu filho, Davi Lucca, no dia 24 do mês passado. Já são seis jogos pelo Santos e um pela seleção brasileira, mas o atacante não se abala. O último gol foi na cobrança de pênalti na vitória por 2 a 1 contra o Bahia, dia 21 do mês passado, em Salvador.

"Se o Santos continuar ganhando e eu não fizer gol está bom demais", disse Neymar. "Estou ansioso para ganhar". Apesar de o time não estar jogando como no primeiro semestre, ele acha que vem sendo inteligente. "Estamos vindo no estilo Libertadores, ganhando por 1 a 0 a maioria dos jogos e vamos crescendo".

Com relação às seguidas faltas que sofreu contra o Cruzeiro, Neymar disse que não adianta falar sobre isso e revelou que teve de se conter a pedido de Muricy para não receber o terceiro amarelo e ficar fora do clássico com o Corinthians, domingo que vem, no Pacaembu. "Pelo menos esse árbitro ficou em cima e viu que tinha de por para fora. Eu só joguei meu futebol", acrescentou o xodó santista.

ARTILHEIRO

A fase de Borges com o gol é melhor. Foi dele o único da vitória contra o Cruzeiro. Mas Borges reclamou da marcação de impedimento no seu segundo gol (anulado), quando o Santos vencia por 1 a 0. "Tenho consciência de que não estava impedido, mesmo porque vim de trás. O gol do Edu Dracena também foi normal. Inclusive eu perguntei para um repórter que estava atrás do gol e ele me disse que a televisão mostrou que não houve impedimento", protestou o artilheiro do Campeonato Brasileiro, com 16 gols em 19 jogos.

O atacante sentiu dores no músculo posterior da coxa esquerda, aos 19 minutos do segundo tempo, e foi substituído por Diogo, mas não é dúvida para o clássico com o Corinthians, no próximo domingo, no Pacaembu. "Já vinha sentindo um incomodo no posterior da coxa e pedi para sair para não sofrer uma contusão mais grave. Para domingo que vem, se Deus quiser, vai dar".

REVOLTA

Edu Dracena era um dos santistas mais revoltados com a arbitragem na Vila. A sua irritação vem desde o jogo contra o Avaí, quarta-feira passada, em Florianópolis, em razão do lance em que ele não fez falta em Lincoln e o árbitro marcou pênalti. "Os juízes só estão errando contra o Santos. Teve um pênalti claro em Neymar que não foi marcado e depois ele deu um que não houve para o Cruzeiro. Sem falar dos nossos dois gols anulados. Mas não adianta ficar reclamando porque ninguém faz nada."

Para Muricy, o Santos foi superior ao Cruzeiro durante os 90 minutos e mereceu a vitória. "Quando o Cruzeiro foi para cima, tivemos chance de contra-atacar e poderíamos ter matado o jogo". O técnico disse que não é de se queixar de arbitragem, mas como o Santos ganhou o jogo, ele abriu uma exceção. "Foi o terceiro pênalti errado seguido marcado contra o Santos. E teve os gols anulados e que foram normais. Vimos o teipe no vestiário."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.