Carlos Gregório Jr./Vasco.com.br
Carlos Gregório Jr./Vasco.com.br

Sem Maxi López e Bruno César, Vasco pega o Madureira na estreia no Carioca

Alberto Valentim tem reforços já inscritos, mas não disponíveis por questões físicas

Redação, Estadão Conteúdo

19 Janeiro 2019 | 13h52

O quase final trágico do Vasco no final de 2018, quando escapou por pouco de amargar seu quarto rebaixamento à Série B do Campeonato Brasileiro, é página virada e a equipe cruzmaltina busca fazer uma temporada melhor em 2019. Neste sábado, o Vasco estreia no Campeonato Carioca contra o Madureira, às 16h50, no estádio Conselheiro Galvão.

Comandado à época por Zé Ricardo, o Vasco foi vice-campeão do último Carioca. O time cruzmaltino perdeu a decisão para o Botafogo, então treinado justamente por Alberto Valentim. Neste ano, o Vasco está no Grupo B da Taça Guanabara, ao lado de Americano, Fluminense, Portuguesa e Volta Redonda, além do adversário da estreia.

Nesta janela de transferências, o Vasco, com várias lacunas no elenco, se mexeu e trouxe oito reforços. Como perdeu apenas o goleiro Martín Silva, que foi para o Libertad, do Paraguai, o time, que realizou a pré-temporada em Atibaia, no interior de São Paulo, está mais forte em relação à última temporada.

Todos os contratados - Bruno César, Cáceres, Cláudio Winck, Danilo Barcelos, Fellipe Bastos, Lucas Mineiro, Ribamar e Yan Sasse - que o clube trouxe antes do início do Estadual já estão regularizados.

Bruno César, que assumiu a 10 e chega com status de principal contratação, e Fellipe Bastos, no entanto, têm problemas físicos e não jogam neste sábado. Os dois, assim como Maxi López e Rildo, devem ter uma pré-temporada estendida para evitar problemas físicos e começar o ano sem limitações. Mesmo sem alguns reforços e sem poder contar também com o centroavante Maxi López, um dos líderes da equipes, Valentim está confiante em um começo positivo.

"Será um Vasco que irá propor o jogo, mesmo sabendo que estamos no início da temporada e com pouco tempo de preparação, sem muitos treinos", disse o treinador, que confirmou o maior tempo de preparação para alguns jogadores para que ocorram menos lesões ao longo da temporada.

"Fizemos testes e chegamos num consenso junto com a fisiologia que seria necessário prolongar o tempo de preparação de alguns jogadores. O objetivo dessa estratégia é diminuir o número de lesões no máximo possível, algo que aconteceu muito no ano passado".

Além dos jogadores citados, Yago Pikachu, Thiago Galhardo e Andrey também ainda precisam aprimorar a parte física e podem ficar fora da estreia.

REFORMADO

A grande atração do Madureira no torneio é o seu estádio, o Conselheiro Galvão, que passou por reforma e voltará a receber um grande clube do estado após cinco anos. "Raiz", por excelência, o local recebeu R$ 700 mil de investimento para ficar apto a receber os grandes rivais do Rio.

O Conselheiro Galvão foi reformado principalmente para que se adequasse aos padrões da transmissão de TV, de modo que agora o acanhado estádio, que tem capacidade para 5 mil torcedores, possui duas torres laterais para a geração de imagens, cobertura para os cinegrafistas se protegerem do sol e três camarotes. O acesso dos jogadores do time visitante também mudou e eles não precisarão mais passar no meio da torcida para descerem aos vestiários. Foram comercializados 3 mil ingressos para a partida de estreia ante o Vasco.

Os gêmeos Everton e Ueslei, que foram companheiros de Gabriel Jesus na base do Palmeiras, chamam a atenção. Ambos são meias e, curiosamente, sempre atuaram nas mesmas equipes.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.