Sem Mota, Palmeiras procura outro atacante

Enquanto Corinthians, Santos e São Paulo continuam apresentando reforços, o Palmeiras segue com dificuldades para anunciar um atacante. Nesta terça-feira, o diretor de futebol do clube, Mario Gianini, foi surpreendido com a informação de que Mota, que já havia até acertado verbalmente o contrato, optou por defender o Dragons, equipe da Coréia do Sul. Com isso, frustou o técnico Jair Picerni, que passou boa parte da entrevista coletiva desta terça elogiando as qualidades de Mota. A partir de agora, o nome da vez para o ataque passa a ser o de Roberto Santos, que disputou a Série B pelo Santa Cruz. Mas a cada dia que passa, o medo de entrar no Campeonato Paulista enfraquecido em relação aos rivais fica mais evidente nas palavras do treinador do Palmeiras. "Espero que até quinta-feira, quando o presidente Mustafá Contursi vier para Águas de Lindóia (cidade em que a equipe realiza a pré-temporada) conversar com o grupo, alguma novidade apareça. O Mota seria um grande nome para nós por se tratar de um atacante rápido e com faro de gol. Pelo que sei, ele vai jogar na Coréia do Sul, mas para mim nada está definido", disse Picerni.A apatia da direção palmeirense na busca por reforços fez com que o próprio Picerni marcasse semana passada uma reunião com Mustafá para mostrar suas necessidades. O primeiro efeito foi a imediata renovação de contrato de Lúcio, que havia sido descartada pelo diretor Mario Gianini.Agora, o treinador espera que pelo menos mais três nomes venham a se incorporar ao elenco. O volante Claudecir, dispensado pelo Kashima Antlers mas cujos direitos federativos pertencem ao Palmeiras, pode voltar. "Nossa base é boa, vem de uma grande conquista ano passado, mas os reforços são necessários principalmente porque vamos jogar quase 70 jogos na temporada", avisou Picerni.O treinador, que mostrou-se revoltado com a marcação do amistoso de domingo passado contra o Oeste em Itápolis (derrota palmeirense por 2 a 1), terá nesta quarta-feira mais uma chance de medir a força de seu time em um jogo-treino contra o União São João, no campo do Oscar Inn, hotel onde a delegação está concentrada. "Aquela partida não serviu para muita coisa", afirmou Picerni, referindo-se à derrota para o Oeste. "Mas não podemos abaixar a cabeça.? O temor de um novo insucesso fez com que o treinador questionasse a importância do treinamento desta quarta. "O resultado não importa nada."Por outro lado, os médicos correm para colocar o goleiro Marcos e o meia Pedrinho em condições de jogar no dia 21 contra o Paulista, na estréia do Campeonato Paulista. Marcos, com queimaduras causadas por um acidente de moto, está treinando fisicamente e deve ter condições. Pedrinho recupera-se de um derrame no joelho esquerdo e semana que vem voltará a treinar fisicamente. O zagueiro Daniel, que torceu o joelho esquerdo no final do ano passado, voltou a treinar com bola e não deve ser problema. E amanhã, o goleiro Sérgio será submetido a uma artroscopia no joelho esquerdo. Seu retorno está previsto para dentro de seis semanas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.