Leo Correa/Mowa Press
Leo Correa/Mowa Press

Sem Neymar, Dunga tem poucas dúvidas para as Eliminatórias

Técnico definiu 90% do grupo para jogos contra Chile e Venezuela

Estadão Conteúdo

10 de setembro de 2015 | 06h33

Dunga tem até o próximo dia 17 para fechar a lista dos jogadores que vão defender o Brasil nas duas primeiras rodadas das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2018 contra o Chile e Venezuela, em outubro. O treinador já definiu 90% do grupo que não terá Neymar nestes dois jogos.

Na convocação para as Eliminatórias, Dunga terá de relacionar 23 jogadores. De acordo com suas avaliações na fase de testes nos amistosos e na campanha da Copa América no Chile, o técnico não deve ter dor de cabeça na hora de formar o grupo.

Dos três goleiros, Marcelo Grohe (Grêmio), titular nos últimos dois amistosos, é nome certo ao lado de Jefferson, do Botafogo. O técnico ainda não se definiu pelo terceiro nome. Nas laterais, salvo problemas de última hora com lesões, Danilo (Real Madrid) e Daniel Alves (Barcelona) estão garantidos. Marcelo (Real Madrid) e Filipe Luis (Atlético de Madrid) estão confirmados.

Na zaga, Miranda (Internazionale), David Luiz (Paris Saint-Germain) e Marquinhos (Paris Saint-Germain) têm presença garantida. Thiago Silva (outro do Paris Saint-Germain), Gabriel Paulista (Arsenal) e Gil (Corinthians) lutam pela última vaga.

O setor de meio de campo é o que mais atormenta Dunga. Ele tem preferência pelos volantes Luiz Gustavo (Wolfsburg), Fernandinho (Manchester City) e Elias (Corinthians) - os três têm cadeira cativa na seleção. Ramires (Chelsea) corre por fora. Pode ser atropelado por Rafinha (Barcelona), que é da seleção olímpica, mas impressionou o treinador contra Costa Rica e Estados Unidos.

Entre os meias, Willian (Chelsea) e Oscar (Chelsea) estão na lista de Dunga. Lucas Lima (Santos) chamou a atenção do treinador, mas não arrancou suspiros. Pode ficar fora das duas primeiras rodadas das Eliminatórias.

Kaká, chamado às pressas para dar suporte aos mais novos na seleção, virou uma incógnita pela sua condição física. Jogou apenas 20 minutos contra a Costa Rica, sofreu com dores musculares e ficou fora do amistoso contra os Estados Unidos. Pode ser preterido, apesar dos elogios que recebeu do treinador na última terça-feira após a vitória (4 a 1) contra os Estados Unidos.

SEM NEYMAR

Na linha de frente, o técnico entende que Hulk se encaixou bem como centroavante. Douglas Costa (Bayern Munique), atuando como um ponta aberto no setor esquerdo, está garantido. Lucas Moura (Paris Saint-Germain) foi outro que voltou muito bem e deve aparecer na próxima convocação. Roberto Firmino (Liverpool) caiu de cotação com o treinador.

Resta a Dunga encontrar uma solução para a ausência de Neymar, suspenso. A seleção ainda gravita na órbita do craque do Barcelona e não tem ideias quando ele não está em campo.

O técnico convoca os jogadores no próximo dia 17 para enfrentar o Chile, dia 8 de outubro, em Santiago, e Venezuela, dia 13, em Fortaleza. Dunga reassumiu a seleção em agosto de 2014. Até aqui foram 16 jogos - 14 vitórias, um empate e uma derrota.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.