Felipe Oliveira/Bahia
Felipe Oliveira/Bahia

Sem quarteto, Bahia busca reabilitação no Brasileirão contra o Palmeiras

Técnico Roger Machado não poderá contar com Juninho, Guerra e Artur, por todos serem jogadores do time paulista

Redação, Estadão Conteúdo

17 de novembro de 2019 | 11h28

Sem poder contar com o zagueiro Juninho, o meia Guerra e o atacante Artur, todos vinculados ao adversário, além de Marco Antônio, vetado pelo departamento médico, o Bahia aposta no mistério para tentar surpreender o Palmeiras neste domingo, às 16h, na Fonte Nova. O clube baiano vem de uma sequência de seis tropeços consecutivos.

"Não tenha dúvida que esse momento pressiona. Pressiona time, jogadores, treinador. Passaram seis jogos, voltamos para casa e, na presença do nosso torcedor, não tivemos bons resultados nos últimos jogos. Naturalmente há pressão maior. Mas a pressão maior que nós temos é interna. Sabemos que podemos voltar ao nível que apresentamos no campeonato e nos credenciou a estar na parte de cima da tabela. Nossa campanha foi tão sólida que, passados seis jogos que não conseguimos um bom resultado, estamos em nono lugar", comentou Roger Machado.

Apesar de não revelar a equipe que iniciará jogando contra o Palmeiras, o treinador indicou algumas mudanças. Na zaga, Wanderson formará dupla com Lucas Fonseca. Já o meio de campo terá Gregore, Flávio e João Pedro. Para a vaga de Artur, Artur Caíque e Rogério disputam a posição. Na frente, Fernandão deverá aparecer entre os titulares, haja vista a polêmica envolvendo Gilberto, que revelou o desejo de se transferir ao Flamengo.

"É repassar tudo, escolher as melhores opções para o jogo contra o Palmeiras. Não temos o Artur, o Juninho, Guerra... Escolher as melhores opções, estudar nosso adversário e ir confiante para o duelo", concluiu o treinador.

Apesar da sequência negativa, o Bahia segue com chances de classificação à Libertadores. O time baiano tem 43 pontos, contra 49 do Internacional, o primeiro dentro da zona de classificação ao torneio através do Brasileirão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.