Sem rancor, Felipão volta à casa do Chelsea e só reclama do frio

Técnico volta ao estádio do time que comandou entre 2008 e 2009 para o amistoso da seleção

ALMIR LEITE, ENVIADO ESPECIAL, Agência Estado

24 de março de 2013 | 19h32

LONDRES - Luiz Felipe Scolari voltou neste domingo a Stamford Bridge, estádio que frequentou durante sete meses entre 2008 e 2009 como técnico do Chelsea, mas não fez história. Acabou derrubado por um complô de vários jogadores, entre eles Ballack e Drogba, mas, nesse retorno, não mostrou nenhum rancor. Agradeceu pela oportunidade que teve e disse só não estar gostando de uma coisa: do frio. "Não estava mais acostumado."

O treinador, inclusive, sabe que os jogadores da seleção vão sofrer nesta segunda com a baixa temperatura. "É ruim demais jogar com frio", disse, arregalando os olhos na quentinha sala de imprensa do Chelsea ao recordar o que passou um pouco antes, durante o treino da equipe no Stamford Bridge. "Dói os dois pés. Os dedos estão duros. Mas temos de tentar jogar e vou exigir isso dos meus jogadores.''''

Ele não leva em consideração o fato de o

A partida contra a Rússia pode não ser a última da seleção com jogadores que atuam fora do Brasil antes da Copa das Confederações. Felipão confirmou que Carlos Alberto Parreira, coordenador da seleção, está negociando a liberação de um ou dois atletas de equipes europeias para a partida contra o Chile, em abril - não revelou quais. "O normal é que não sejam liberados, mas vamos tentar."

Ele não acha que perderá tempo testando jogadores de clubes do País nos jogos com Bolívia, dia 6 de abril, e Chile. "Em 2001, tiramos o Anderson Polga, o Kleberson e o Gilberto Silva de jogos assim", lembrou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.