Sem reforços, Luxemburgo desanima

A forma desinteressada como o time se portou na Copa dos Campeões e o descaso da diretoria em relação aos pedidos de reforços feitos pelo técnico Wanderley Luxemburgo colocaram um ponto de interrogação no futuro do treinador no Parque São Jorge. Apesar das palavras do próprio Luxemburgo, dizendo que vai cumprir o seu contrato até 2002, são cada vez mais fortes os indícios de que o ex-técnico da Seleção Brasileira possa ser um ex também no Corinthians - especialmente se aparecer uma boa proposta de um grande clube.Sem um grupo técnico compatível com a sua indiscutível capacidade de organizar uma equipe, o comportamento de Wanderley Luxemburgo no banco de reservas não tem sido o mesmo desde a fatídica final da Copa do Brasil, contra o Grêmio. Nas duas partidas contra o Coritiba, pela Copa dos Campeões, o treinador corintiano também não foi o mesmo.Surpreendentemente calado, não vibrou como de costume nem cobrou os seus jogadores como de hábito. Parecia não acreditar na capacidade de reação de sua equipe, embora não reconhecesse isso. "Fiz o que pude para melhorar o desempenho do time. Tentei o máximo com o material humano que tenho".Para confundir ainda mais a cabeça do treinador em relação ao seu futuro, a Hicks Muse ainda cometeu uma falha imperdoável. Deu ao Cruzeiro, e não ao Corinthians, o jogador que Wanderley Luxemburgo mais queria no Parque São Jorge: o volante Freddy Rincón. Wanderley apostava na liderança do colombiano para vencer o Campeonato Brasileiro - última esperança do Corinthians para disputar a taça Libertadores da América.A contratação de Rincón era vista como prioridade pelo treinador corintiano e a Hicks Muse sabia disso desde o começo do ano. Após a derrota de quarta-feira para o Coritiba, Luxemburgo se negou a comentar essa questão. "Não sou a pessoa mais indicada para responder sobre isso. Acho que vocês deveriam fazer essa pergunta ao parceiro do Corinthians".A Agência Estado tentou nesta quinta-feira um contato com Dick Law, o chefão da Hicks, mas como de hábito, não conseguiu. Consta que Dick estaria na Europa, acompanhado do vice-presidente de futebol Antonio Roque Citadini tentando formalizar a contratação de André Luiz, cujo empréstimo termina no sábado.Na mesma viagem, os dirigentes tentarão o empréstimo de Christian, ex-Inter, que não passa por um bom momento no Paris Saint Germain. O jogador chegou a ser oferecido ao Corinthians há um mês, mas como o time disputava a Copa do Brasil Wanderley Luxemburgo sugeriu que as negociações fôssem adiadas.Outro jogador bem próximo do Parque São Jorge é Deivid, cujo passe pertence ao Santos e ao Nova Iguaçu. Segundo se comenta no Parque São Jorge, a Hicks já teria até um contrato assinado com Deivid. Como de hábito, a Hicks também não se manifesta a esse respeito.Preocupado com o risco de ver a sua imagem se deteriorar no comando de um time limitado como o do Corinthians, Wanderley Luxemburgo vai dar tempo ao tempo, na expectativa de que a Hicks Muse saia do marasmo e contrate os reforços que ele pediu. Se isso não acontecer, Wanderley Luxemburgo pode mudar de ares já no segundo semestre.

Agencia Estado,

28 de junho de 2001 | 18h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.