Sem reforços, Santos luta por Rincón

O Santos entrou na real e já anunciou que não terá reforços de ponta para o Brasileiro. A maior estrela poderá ser Rincón e o clube espera até sexta-feira uma resposta do colombiano. "A proposta é excelente em termos de futebol brasileiro e estamos aguardando sua manifestação", disse o presidente Marcelo Teixeira nesta quarta-feira à tarde, durante a reapresentação dos jogadores. Também o caso de Deivid deverá ser solucionado no mesmo dia do volante. Teixeira revelou que os dirigentes do Nova Iguaçu, clube carioca que detém 50% do passe do atleta, deverão estar em Santos para decidir a questão. Os santistas fizeram uma proposta para ficar em definitivo com o atacante, pensando em negociá-lo com o Borussia Dortmund.Deivid compareceu à reapresentação e disse que não tinha sido informado sobre qualquer proposta. "Venho falando para os dirigentes do Santos comprarem meu passe desde o ano passado e eles deixaram para a última hora", disse ele, sem esconder uma ponta de mágoa por ter sido preterido enquanto o clube contratou outros jogadores, "e não ter sido valorizado como devereria". E completou: "minha preferência é em permanecer na Vila, pois fui revelado aqui", completou. Robert também não falou sobre os clubes interessados em contratá-lo, mas admitiu que conversações estão sendo realizadas. "Meu procurador cuida disso e o que sei é que, se houver uma boa proposta para mim e para o Santos, posso mudar de clube", indicando que deixará a Vila se o interessado for algum clube europeu ou mesmo brasileiro, desde que de elite. No caso, o Palmeiras, que já manifestou intenção de contratá-lo.O atacante Dodô revelou que Juan Figer, seu procurador, está conversando com a diretoria para encontrar uma solução para seu caso. "Tenho contrato até o dia 14 do mês que vem e, até lá, tenho que treinar todos os dias, cumprindo meu compromisso", disse o atacante, que considera encerrado seu ciclo na Vila Belmiro.Bola Fora - Já a reunião do Conselho Deliberativo que iria ser realizado na noite de terça-feira foi cancelada, quando conselheiros questionaram a legalidade da convocação. Assim, as contas do exercício de 2000, que deveriam ter sido votadas em março, continuam pendentes e nova reunião será marcada nos próximos dias.

Agencia Estado,

20 de junho de 2001 | 18h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.