Ricardo Duarte/Internacional
Ricardo Duarte/Internacional

Sem renovar com o Inter, Leandro Damião se transfere para o Kawasaki Frontale

Novo clube do centroavante é o atual bicampeão japonês e cuja fundação foi inspirada pelo Grêmio

Estadão Conteúdo

14 de dezembro de 2018 | 12h58

Leandro Damião vai atuar no futebol japonês no próximo ano. Nesta sexta-feira, o centroavante foi anunciado como reforço do Kawasaki Frontale, que confirmou a chegada do jogador em nota publicada no seu site oficial, aproveitando o fim do seu contrato com o Internacional.

O clube gaúcho havia comunicado nesta semana o fim da nova passagem de Damião, após não conseguir chegar a um acordo para a renovação do seu contrato. Assim, o centroavante ficou livre para negociar com outros clubes. E agora assinou com o Kawasaki Frontale em acordo válido por um ano.

Nessa segunda passagem pelo Inter, Damião foi figura importante em 2017, ajudando o clube a conseguir o acesso à elite do futebol brasileiro. Mas sofreu com lesões na temporada 2018. Ainda assim, entrou na relação dos dez maiores artilheiros da história do clube.

A ida de Damião para o Kawasaki Frontale pode até mesmo ser considerada inusitada para quem é ídolo do Inter e está inserido na rivalidade do futebol gaúcho. Afinal, o clube teve inspiração no Grêmio quando foi fundado, chegando a ter uniforme e escudos semelhantes. E também teve uma parceria com o rival do Inter.

Novo time de Damião, o Kawasaki Frontale é o atual bicampeão japonês. E já contava no seu elenco com dois jogadores brasileiros, ainda que pouco conhecidos no País - o meia Caio César e o defensor Eduardo.

Sem Damião, o Inter precisará buscar novas opções para a função de centroavante. Contratado durante a última temporada, o peruano Guerrero só estará liberado para voltar a jogar em abril, quando se encerra a sua suspensão por doping. O uruguaio Jonatan Álvez, que também chegou ao time em 2018, só tem contrato até a metade do próximo ano. E tnão agradou nas chances que recebeu.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.