Bruno Cantini/Divulgação
Bruno Cantini/Divulgação

Sem Ronaldinho Gaúcho, Atlético-MG joga em Criciúma

Cuca opta por poupar jogador; Luan e Dátolo são cotados para assumir vaga no ataque

MARCELO PORTELA, Agência Estado

25 de setembro de 2013 | 08h17

BELO HORIZONTE - Com uma partida a menos que os líderes do Campeonato Brasileiro, o Atlético Mineiro enfrenta o Criciúma, nesta quarta-feira, para regularizar a sua situação com a possibilidade de ser aproximar do grupo de elite da competição. A partida, marcada para 19h30 no estádio Heriberto Hülse, em Criciúma (SC), é válida pela 25.ª rodada e estava prevista inicialmente para o próximo dia 2. Mas o jogo foi antecipado para que Atlético e Ponte Preta cumpram compromisso da 8.ª rodada no dia 3, adiado devido à participação da equipe mineira na final da Copa Libertadores.

O Atlético entrará em campo desfalcado do principal destaque do elenco. Após seis jogos seguidos como titular, o meia Ronaldinho Gaúcho será poupado pelo técnico Cuca por causa do desgaste causado pela sequência de partidas. A vaga deve ficar com Dátolo, mas o treinador também tem Luan à disposição para a função. "Quem entrar em campo vai dar o melhor para o time", disse o argentino, para quem a equipe tem que "pensar em cada jogo como uma final, daqui até dezembro".

O atacante Fernandinho, que era dúvida pelo mesmo motivo de Ronaldinho Gaúcho, foi confirmado pelo treinador e deve ficar de fora do jogo contra o Santos no domingo, em Belo Horizonte. Quem também seguiu com o time para Criciúma foi o lateral-direito Marcos Rocha, que havia sentido dores na panturrilha esquerda, mas voltou a treinar normalmente e deve atuar. Com 31 pontos, o Atlético tem chance de chegar à quinta posição da tabela de classificação caso vença a partida.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoAtlético-MG

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.