Jardel da Costa/FuturaPress
Jardel da Costa/FuturaPress

Sem seis titulares, Santos empata com a Chapecoense

Depois de perder várias chances para fazer o segundo gol, o time paulista cede a igualdade nos acréscimos

Fernando Faro, O Estado de S. Paulo

25 de outubro de 2014 | 20h56

O Santos pagou o preço por sua apatia nos minutos finais. Depois de abrir o placar no início da partida, o Alvinegro perdeu chances para matar o jogo e cedeu o empate para uma aguerrida Chapecoense por 1 a 1 na Arena Condá.
A situação do time na tabela não mudou, mas a igualdade caiu como uma luva para os donos da casa, que tentam se afastar definitivamente da zona de rebaixamento.

Com pouquíssimas chances de chegar à Libertadores pelo Brasileiro, Enderson Moreira não se furtou de escalar uma equipe mista para preservar seus principais atletas para os duelos contra o Cruzeiro na Copa do Brasil. Desta forma, a coluna vertebral Alvinegra foi desmontada e Aranha, Edu Dracena, Arouca e Robinho acompanharam o duelo pela tevê.

Poupar atletas, porém, não significou abdicar da vitória. E ao menos no início o Santos foi para cima e evitou que os donos da casa imprimissem a mesma pressão aplicada ao São Paulo na última quarta. A aposta era na velocidade de Rildo e Gabriel, mas foi na bola parada que o placar foi movimentado. Logo aos 12 minutos, Bruno Uvini subiu bem e, de cabeça, mandou para o gol depois de cobrança de escanteio.

Mandante incômodo na Arena Condá, a Chapecoense acusou o golpe e demorou para se acalmar. Os avanços de Tiago Luís rarearam, e Camilo, que vem fazendo bom campeonato, não conseguiu dar a velocidade necessária para romper o bloqueio defensivo do adversário, que abraçou a vantagem no placar e passou previsivelmente a jogar no contra-ataque.

Acontece que a falta de entrosamento de um lado e as inegáveis debilidades técnicas do outro transformaram o confronto num festival de erros. O primeiro tempo careceu de emoções, salvo em poucos momentos. Um deles foi uma perigosa cabeçada de Leandro em cruzamento de Tiago Luís.

A leveza de espírito santista, em situação cômoda na tabela, contrastava com a aflição catarinense. Por isso, a Chapecoense foi para cima no segundo tempo e ao menos deixou o jogo mais interessante a aberto.

Prêmio. Os donos da casa intensificaram a marcação e adiantaram as linhas ofensivas para sufocar o rival, e a estratégia passou a surtir efeito à medida que o Santos não conseguia mais trocar bolas. O preço a ser pago foi abrir ainda mais espaço para os contra-ataques. Tivesse o Alvinegro um pouco mais de capricho e o jogo poderia ter sido resolvido sem problemas, porque chances para fazer o segundo gol o time teve.

De tanto insistir, a Chapecoense acabou recompensada nos minutos finais. Fabinho Alves avançou pela direita e cruzou rasteiro para Leandro empatar. Resultado que premiou o esforço dos donos da casa, mas não alivia muito a situação. Ao Santos, resta agora pensar no Cruzeiro e na Copa do Brasil.

Get Adobe Flash player

FICHA TÉCNICA

CHAPECOENSE 1 x 1 SANTOS

CHAPECOENSE - Danilo; Fabiano, Douglas Grolli, Rafael Lima e Rodrigo Biro; Bruno Silva (Nenén), Abuda (Fabinho Alves), Diones e Camilo (Bruno Rangel); Tiago Luis e Leandro. Técnico: Jorginho.

SANTOS - Vladimir; Cicinho, Bruno Uvini David Braz e Mena; Souza, Renato e Serginho (Thiago Maia); Gabriel (Jorge Eduardo), Rildo e Leandro Damião (Stéfano Yuri). Técnico: Enderson Moreira.

GOLS - Bruno Uvini, aos 13 do primeiro tempo; Leandro, aos 45 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Abuda (Chapecoense); Cicinho, Bruno Uvini, David Braz e Souza (Santos).

ÁRBITRO - Anderson Daronco (RS).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Arena Condá, em Chapecó (SC).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.