Andrei Torres/ABC FC
Andrei Torres/ABC FC

Sem solução para evitar W.O. na Série B, presidente pede licença no ABC

Judas Tadeu alegou problemas médicos para se afastar por 90 dias

Estadão Conteúdo

26 Outubro 2017 | 19h54

Sem condições de assumir as despesas referentes a três meses de salários atrasados dos jogadores ou mesmo evitar uma greve, Judas Tadeu pediu licença nesta quinta-feira da presidência do ABC. Ele alegou problemas médicos, saindo assim de cena de uma das maiores crises vividas pelo clube de Natal. Já o vice-presidente Leonardo Arruda pediu exoneração e também deixou a diretoria abecedista.

+ Confira a classificação do Campeonato Brasileiro da Série B

Judas Tadeu, neste primeiro momento, fica afastado do clube por 90 dias, mas dificilmente retomará o cargo de presidente. Seu mandato vai até o final de 2018. O vice-presidente mais velho, Paulo Tarcísio, que já vinha acompanhando de perto a complicada situação, assume o posto, com Rui Barbosa como vice de futebol.

Também nesta quinta-feira, o Sindicato dos Atletas cortou qualquer tipo de acordo para colocar um fim na greve, após o dirigente tentar alegar justa causa e indicar que só pagaria os atrasados dos jogadores das categorias de base. O Sindicato e os jogadores mantém à disposição de dar W.O. diante do Londrina, neste sábado, no estádio Frasqueirão, em Natal, pela 32.ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

No entanto, com a mudança inesperada na diretoria do clube, o Sindicato deve retomar as conversas com o novo presidente a fim de resolver a situação da equipe até esta sexta-feira.

Virtualmente rebaixado, o ABC vive uma de suas melhores fases na competição. O time potiguar não perde há três jogos e ocupa a lanterna com 26 pontos, a 11 do Figueirense, primeiro fora da zona da degola. Na última rodada venceu fora o Náutico por 2 a 1.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.