Sem Suárez, Uruguai vence Japão com gols de Cavani e Hernández

Atacante do Paris Saint-Germain assume o protagonismo e sela derrota da seleção japonesa na estreia do técnico Javier Aguirre

Estadão Conteúdo

05 Setembro 2014 | 10h09

Mesmo sem contar com seu principal jogador, a seleção uruguaia venceu em seu primeiro compromisso após a queda nas oitavas de final da Copa do Mundo. Nesta sexta-feira, a equipe ignorou a presença da torcida adversária e derrotou o Japão por 2 a 0 em amistoso realizado na cidade de Sapporo. O atacante Cavani marcou o primeiro e Abel Hernández completou o placar.

O Uruguai não teve Luis Suárez para o amistoso. O novo reforço do Barcelona acabou ficando fora desta convocação mesmo estando liberado para disputar amistosos pela seleção. Punido pela Fifa após morder o zagueiro Chiellini na Copa do Mundo, o jogador segue cumprindo a pena de nove partidas oficiais sem poder atuar pelo time nacional, sendo que já cumpriu um deles, que foi o confronto válido pelas oitavas do Mundial, contra a Colômbia.

Sem ele, Cavani assumiu a condição de referência da equipe e ajudou a decidir o confronto. Aos 33 minutos, ele recebeu dentro da área após saída errada do Japão e bateu mascado, mas com força suficiente para vencer o goleiro e abrir o placar. No segundo tempo, Abel Hernández, recém-contratado pelo Hull City, selou o resultado.

Se o Uruguai foi bem e fez o suficiente para vencer, o técnico Javier Aguirre, que estreou no comando da seleção japonesa, deve ter ficado preocupado. A equipe mostrou os mesmos erros da campanha pífia da última Copa, na qual caiu na primeira fase, e pouco incomodou o adversário.

COREIA DO SUL VENCE

Em outro amistoso realizado nesta sexta-feira, também na Ásia, a Coreia do Sul derrotou a Venezuela por 3 a 1, com gols de Lee Myeong-Joo e Lee Dong-Gook, duas vezes. Rondón havia inaugurado o placar para os venezuelanos. Foi a primeira partida dos coreanos após a decepcionante campanha na Copa, com a eliminação na primeira fase, que rendeu duros protestos e críticas no país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.