Cesar Greco/Agência Palmeiras
Cesar Greco/Agência Palmeiras

Sem tempo para treinar, Abel Ferreira vai ajustar Palmeiras ao seu modo nos jogos

Treinador português venceu em sua estreia no comando do time alviverde

Wilson Baldini Jr., Estadão Conteúdo

06 de novembro de 2020 | 07h42

O técnico Abel Ferreira não terá muito tempo para saborear a estreia vitoriosa no comando do Palmeiras, diante do Red Bull Bragantino, obtida nesta quinta-feira, pois o time volta a campo já no domingo, às 16 horas, diante do Vasco, pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro. Esta falta de tempo para treinar, deverá fazer com que o comandante português mantenha a mesma formação.

"Infelizmente, sei que é um grande risco que corro, mas quem está no futebol sabe que é preciso correr riscos. Por isso, para conseguir alternativas para o ataque, tenho de tentar durante os jogos, pois não temos tempo para treinar", disse o treinador, que dirigiu o time contra o Bragantino sem comandar um treino.

Abel revelou que com a entrada de Ramires, no segundo tempo, passou a jogar pela pontas e utilizou a formação da zaga com três zagueiros, além de testar o Gustavo Scarpa na lateral-esquerda, coisa que Vanderlei Luxemburgo já havia feito. Aliás, esta é uma preocupação do técnico, que durante a Data Fifa não poderá contar com o lateral-esquerdo uruguaio Viña, o goleiro Weverton, o lateral-direito Gabriel Menino e o zagueiro paraguaio Gustavo Gómez, todos servindo suas seleções.

"Nosso maior aliado é o núcleo de performance, que nos orienta na preparação, alimentação e descanso dos jogadores para que possamos utilizá-los da melhor forma nas partidas. Também conto muito com a atitude dos atletas sempre que for colocado algo que o treinador os desafie", completou o treinador, que no domingo, às 16 horas, em São Januário vai enfrentar o "amigo" Ricardo Sá Pinto, técnico do Vasco, no primeiro duelo entre treinadores no futebol brasileiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.