Sem Tevez, Corinthians pega a Ponte

O técnico Tite está cheio de problemas para armar o Corinthians que enfrenta a Ponte Preta, nesta quarta-feira, às 20h30, no Pacaembu. Sua maior preocupação é a ausência de Tevez e Rosinei, ambos contundidos. Ele sabe que seu trabalho já começou a ser contestado pela torcida. Mais um tropeço jogando em casa pode significar o início do fim. "O primeiro a ser comprometido é o meu cargo. Tenho consciência disso. Mas também fico na expectativa de que o grupo possa ser formado e ficar sólido o mais rápido possível", diz o técnico. O jogo contra a Ponte também ganha em importância por preceder o clássico de domingo, contra o São Paulo, no Morumbi. Depois do empate por 0 a 0 com o Paulista, domingo, em Jundiaí, o Corinthians entra em campo com a obrigação de vencer nesta quarta para tentar no fim de semana reduzir a desvantagem de nove pontos para o líder do Paulistão.Para desespero do treinador, a tendinite na perna direita de Tevez é preocupante e coloca em risco a participação do argentino também no clássico de domingo. Ele iniciou tratamento intensivo na segunda-feira e nem apareceu no gramado de Parque São Jorge na terça, embora estivesse no clube acompanhado de sua família.Sem outro atacante com as mesmas características, Tite optou pela escalação de Dinélson, um meia-armador típico. Dessa forma, Gil voltará a jogar como atacante, atuando no setor que ele mais gosta, caído pela esquerda. Para evitar o pânico, o treinador disse que confia na nova formação. Mas sua preocupação é evidente. "Claro que o Tevez é um desfalque importante, mas tenho dito que um grupo tem de valer por sua força de conjunto."Para o lugar de Rosinei, Tite escalou Marcelo Mattos. Contratado do São Caetano para ser um dos destaques da equipe, o volante se machucou e ainda não conseguiu se firmar no Corinthians. Ele começou o Paulistão como titular, mas atuando improvisado como zagueiro, diante do Marília, no interior. No segundo jogo, contra o Atlético Sorocaba, foi escalado no meio-de-campo, mas sofreu uma entorse no tornozelo direito, ficou 10 dias parado e acabou perdendo a posição para Wendell. Depois disso, nunca mais foi titular, até o jogo desta quarta, contra a Ponte.

Agencia Estado,

23 de fevereiro de 2005 | 09h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.