Sem verba, Leão diz que trabalho no Santos não será 'light'

Técnico afirma que encontrará problemas para montar o time para a disputa do Paulistão e da Libertadores

03 de janeiro de 2008 | 13h21

Na reapresentação do Santos para a temporada 2008, o técnico Emerson Leão afirmou nesta quinta-feira que enfrentará problemas para montar o time para o Campeonato Paulista e a Copa Libertadores. O treinador contou que o clube não tem dinheiro para contratações. Veja também:  Santos inicia treinos sem Fábio Costa, que chega atrasado Leão disse que o trabalho no Santos não será "light". O técnico contou que o clube possui muitos jogadores "emprestados e alugados", sem uma base para iniciar o trabalho. Ele acredita que o time enfrentará um período de turbulência nos primeiros jogos do ano. O técnico ainda falou sobre reforços e confirmou a contratação do zagueiro Evaldo, de 24 anos, ex-Grêmio. Leão contou que o clube também está atrás do zagueiro Fabão, que atualmente está no futebol japonês. Já Argel foi descartado. O atacante Grafite, ex-São Paulo, também foi procurado pelo clube. No entanto, segundo Leão, o Santos não tem dinheiro para fazer a contratação. Confira os principais trechos da entrevista do treinador: Time atual"Temos alguns jogadores que pretendíamos ficar. Exemplo é o Pedrinho, que jogou 50 e poucos jogos. Logicamente, ele fez um bom campeonato e está querendo ganhar. Ele tem razão mas deve ter outras ofertas [tem propostas do Corinthians]. Tem atletas que renovaram, está registrado no BID, mas não sabemos como ficarão." Reforços"Segundo o Marcelo Teixeira [presidente], se vendêssemos o Kleber [lateral] teríamos dinheiro para contratar. Isso não aconteceu, e começamos sem uma base. Estamos sem time definido. O Santos tem muitos jogadores emprestados, muitos alugados, pouco definidos. Não é o que eu esperava, pensei que fosse mais light, mas não é não. Nomes cotados"Argel [zagueiro] sem possibilidade. Ele me ligou há um mês e meio atrás por outras coisas. Sobre Fabão [zagueiro], já conversamos e ele tem chances. Contudo, ele não está jogando há três, quatro meses. É um zagueiro que joga simples, rebatedor, gosto muito dele e espero contar com sua vinda. Mas não há nada definido. Já o Evaldo [zagueiro, ex-Grêmio] vem e estamos conversando com outros. Temos uma lista com o Ilton José da Costa [gerente de futebol] de uns 15 jogadores, dentro desse plano novo, que é uma surpresa, do que pode e do que não pode. Jogadores me telefonaram, agradecendo a lembrança, mas disseram que financeiramente não era possível. Um deles é o Grafite [atacante], que me ligou e disse que está bem na Alemanha." Maldonado e Fábio Costa"Quando um treinador novo chega, não se pergunta [ao atleta] se ele quer ou não trabalhar. Tem de haver bom senso. Os jogadores citados são classificados como bom pela imprensa e se estiverem bem treinados e satisfeitos, vão jogar. Todos são profissionais, a bola taí, a grama taí, é só trabalhar. O Marcelo [presidente] me disse que talvez teria propostas para os dois, mas não se confirmaram." Departamento médico"É bom que saibam que as coisas não são perfeitas. Eu cheguei e pedi relatórios de exames anteriores e não tem. Um aparelho que estava aqui desapareceu, outro sumiu. Estamos avaliando. Pedi ao Ilton um relatório do que tinha e do que tem. O Santos adquiriu um monte de coisa. Eu estaria sendo leviano se falasse do que não sei. Vou falar do que sei. O Filé [fisioterapeuta] disse que estava preocupado com o futuro disso aqui, posso garantir a ele que não precisa não.

Tudo o que sabemos sobre:
Santos FCLeão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.