Semana decisiva para o Santos

Com o grande desafio de sobreviver na Copa Libertadores da América sem a força do futebol de Robinho, a semana do Santos começará nesta segunda-feira, às 10h, quando os jogadores retornam da folga de três dias. O técnico Alexandre Gallo vai ter muito trabalho para reorganizar o time, visando a volta ao Campeonato Brasileiro, domingo, às 16h, contra o Fluminense-RJ, e principalmente para enfrentar o Atlético-PR, dia 15, na Vila Belmiro, com a obrigação de vencer para se classificar às semifinais da Copa Libertadores da América. É provável que Gallo recorra a dois atacantes - Giovanni e Basílio - para substituir, sem certeza de sucesso, o maior ídolo do clube depois de Pelé. Robinho e de Léo estarão com a Seleção Brasileira na Copa das Confederações, na Alemanha."A situação não é tão difícil. Basta uma vitória simples para conseguirmos a classificação", sintetizou o técnico no retorno de Curitiba, onde o time, jogando completo, perdeu por 3 a 2, de virada, do Atlético-PR (com um jogador a menos desde os 26 minutos do primeiro tempo). Porém, mesmo procurando demonstrar tranquilidade, o técnico sabe que as derrotas diante do Palmeiras (2 a 1, no Parque Antártica), quando poupou os titulares, e Atlético-PR abalaram o seu prestígio com a torcida, que não aprovou a volta do goleiro Henao (estava há dias sem treinar, recuperando da luxação em dois dedos da mão direita).A saída de Henao não resolve a situação do gol por completo porque Mauro também não é bem visto pela torcida. Além disso, ele pode ter ficado desmotivado em razão da maneira como perdeu a condição de titular. Wendell, inscrito na Libertadores antes que o seu registro na CBF estivesse regularizado, deve ser improvisado na lateral-esquerda. A boa notícia é que Paulo César está recuperado do estiramento muscular, segundo o médico Carlos Braga, e agora precisa apenas readquirir o condicionamento físico. Com a sua volta, o time deverá ter pela direita a eficiência no apoio ao ataque que perde pela esquerda, com a falta de Léo.O zagueiro Preto não é mais do Santos. O seu contrato terminou na sexta-feira e o clube não demonstrou interesse na sua permanência.Preto sofreu uma fratura no tornozelo direito em outubro de 2003 e teve que passar por duas cirurgias. Ele tem propostas de dois clubes que disputam a primeira divisão do Campeonato Brasileiro e ainda não decidiu para onde vai.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.