Semana vale o ano para o Palmeiras

Os resultados desta semana definirão o rumo a ser tomado pela diretoria do Palmeiras: a permanência ou não do lateral-esquerdo Felipe e do meia Alex e a contratação de reforços, com a ajuda do novo patrocinador do time, a Pirelli. Tudo vai depender do resultado da equipe na partida contra o Boca Juniors, que decidirá uma vaga para a final da Taça Libertadores e provavelmente para o Mundial de Tóquio. Se o Cruz Azul for o outro finalista, o vencedor de Palmeiras e Boca já tem lugar garantido no Mundial Interclubes. A classificação para o Mundial mudará os planos do Palmeiras, que lutará para manter Alex e Felipe no elenco. "O resultado na Libertadores é o meu trunfo para permanecer no Palmeiras", diz Alex. Felipe, que não aceitava ter o empréstimo prorrogado, já admite a hipótese para poder disputar o título no Japão. Ele sabe que será muito valorizado se vencer o jogo do fim do ano, contra o Bayern de Munique, atual campeão europeu. Além de manter os principais jogadores, o clube correrá atrás de mais alguns reforços, ajudado pela Pirelli, que pagará R$ 2 milhões por ano pelo contrato de patrocínio e poderá até pôr mais dinheiro para eventuais contratações. O presidente Mustafá Contursi pretende abrir mão de uma vez da política de contenção de gastos para levar à frente o Projeto Tóquio. Tem consciência de que representa muito para o clube e também para o patrocinador. A "Casa Palmeiras", que seria um espaço para divulgar a marca do time no Mundial da Espanha - competição adiada pela Fifa -, deverá ser instalada no Japão. Uma derrota para o Boca, contudo, modificará todo o planejamento. Nesse caso, Alex e Felipe deixarão o Palestra Itália e os reforços que chegarão serão mais modestos. Embora não confirme, a diretoria tem interesse na contratação do meia Robert, do Santos e da seleção brasileira. Trabalho - A ordem no Palmeiras é trabalhar - e muito -, principalmente depois que os jogadores souberam que poderão garantir um lugar no Mundial de Tóquio já nesta semana. Hoje, o técnico Celso Roth comandou treino em dois períodos e, amanhã, não dará folga ao elenco. O treinador não contará com o volante Fernando, suspenso. Deverá escalar um atacante em seu lugar, Juninho ou Basílio. Uma boa notícia: o atacante do Boca, Guillermo Schelotto, não conseguiu se recuperar de contusão e está fora da partida de quarta-feira. O outro atacante, Barijho, também não joga por estar suspenso. Dor de cabeça para o argentino Carlos Bianchi.

Agencia Estado,

09 de junho de 2001 | 18h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.