Montagem com fotos de Peter Powell/EFE, Odd Andersen/AFP e Massimo Pinca/Reuters
Montagem com fotos de Peter Powell/EFE, Odd Andersen/AFP e Massimo Pinca/Reuters

Semifinais da Liga dos Campeões põem à prova grande fase de goleadores

Salah, Lewandowski e Cristiano Ronaldo buscam levar suas equipes à decisão da competição

Rafael Franco, O Estado de S.Paulo

24 de abril de 2018 | 07h01

As semifinais da Liga dos Campeões vão começar nesta terça-feira, com o confronto de ida entre Liverpool e Roma, às 15h45 (de Brasília), no estádio Anfield Road, colocando à prova a grande fase vivida pelo atacante Mohamed Salah, da equipe inglesa. O egípcio contabiliza 31 gols em 33 jogos no Campeonato Inglês e ainda divide com o brasileiro Roberto Firmino, seu companheiro de ataque, a vice-artilharia da competição continental, com oito bolas na rede cada um.

+ Firmino exalta Klopp no Liverpool e já sonha com gol na Copa do Mundo

O mesmo vale para a partida de quarta-feira, quando o Bayern de Munique receberá o Real Madrid na Allianz Arena, também às 15h45, no primeiro duelo deste mata-mata por vaga na decisão. Pelo lado do clube alemão, Robert Lewandowski ostenta uma média de um gol por jogo ao ter marcado 28 vezes em 28 confrontos neste Campeonato Alemão, cujo título também já foi assegurado pela equipe bávara por antecedência.

Já pelo Real, Cristiano Ronaldo segue exibindo um desempenho espetacular e que pode ser considerado surreal. Com 15 gols, é o artilheiro disparado desta Liga dos Campeões e já atingiu a marca de 121 tentos como maior goleador da história da competição.

O de número 120, por sua vez, foi antológico. Com uma bicicleta incrível na vitória por 3 a 0 sobre a Juventus, na partida de ida das quartas de final, o astro português também se tornou naquela ocasião o primeiro jogador da história a marcar em dez partidas seguidas da Liga dos Campeões. Ele abriu esta série goleadora na decisão da edição passada da competição, em 2017, quando também foi decisivo justamente contra a Juventus, em Cardiff, no País de Gales, para dar mais um título europeu ao Real.

O atacante de 33 anos tem uma média impressionante no principal torneio interclubes da Europa, no qual contabiliza 25 gols nos últimos 15 confrontos. No último deles, marcou, de pênalti, o gol que assegurou o time madrilenho nas semifinais ao descontar o placar na derrota por 3 a 1 para a equipe de Turim no duelo de volta das quartas de final.

 

ALISSON

Correndo por fora nesta briga pelo título da Liga dos Campeões, a Roma surpreendeu ao eliminar o Barcelona com uma vitória por 3 a 0 no segundo confronto das quartas, na Itália, após ter sido goleada por 4 a 1 no jogo de ida, na Espanha.

E, se por um lado está longe de contar com atacantes tão decisivos como são Cristiano Ronaldo, Salah e Lewandowski, por outro lado contam com Alisson, goleiro titular da seleção brasileira, como trunfo para frear o Liverpool na semifinal e depois possivelmente desbancar o favoritismo de Real ou Bayern na grande decisão.

O jogador é o líder das estatísticas de defesas desta Liga dos Campeões. São 38 intervenções computadas pela Uefa. E ele vai precisar manter esta média alta, pois terá pela frente nesta terça o ataque mais positivo da competição até aqui, com 33 gols marcados, enquanto o time romano só balançou as redes por 15 vezes no torneio.

"Econômica" no setor ofensivo, a equipe divide com os eliminados Barcelona, Porto e Sevilla a condição de oitavo ataque mais goleador desta edição do torneio. Real Madrid e Bayern ocupam respectivamente a terceira e quarta posição deste ranking, com 26 e 23 bolas na rede, enquanto o Paris Saint-Germain, despachado pelo time de Zidane nas oitavas, ainda está em segundo, com 27. A Roma também figura atrás de Manchester City (20), Tottenham (18) e Chelsea (17) na lista de ataques mais goleadores da competição.

 

ÚNICO INVICTO

Apostando tudo na grande fase de Salah, o Liverpool também voltará a defender o status de único time invicto de toda esta Liga dos Campeões. Foram seis vitórias e quatro empates em dez jogos, mas quem mais obteve triunfos até aqui é o Bayern, com oito, além de uma derrota e um empate.

O Real foi derrotado em duas de suas dez partidas, mas também ganhou mais vezes do que o clube inglês ao sair de campo vencedor em sete jogos. Azarão, o time romano só ganhou metade de seus dez confrontos, sendo que perdeu outros três e empatou dois.

Único invicto, o Liverpool também é o dono da defesa menos vazada entre os semifinalistas, com sete gols sofridos, enquanto a Roma já levou 12, apesar de Alisson liderar a estatística individual de sua posição. O mesmo número de bolas na rede tomou o Real, enquanto o Bayern teve a sua meta vazada por oito vezes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.