Phill Magakoe/AFP
Phill Magakoe/AFP

Senegal bate África do Sul e se torna 3ª nação africana garantida na Copa

Vitória por 2 a 0 colocou senegaleses no Mundial da Rússia ao lado de Egito e Nigéria

Estadão Conteúdo

10 Novembro 2017 | 17h54

Senegal passou a ser terceira nação da África (Egito e Nigéria são as outras) a garantir vaga na Copa do Mundo de 2018, que será na Rússia, depois de vencer a África do Sul por 2 a 0, nesta sexta-feira, no estádio Peter Mokaba, em Polokwane, uma das sedes do Mundial de 2010, em jogo adiado do Grupo D das Eliminatórias Africanas.

+ Nigéria vence a Zâmbia e se classifica para a Copa da Rússia

+ Egito bate Congo e volta a disputar uma Copa após 28 anos

A partida havia sido realizada em novembro do ano passado e terminado com a vitória sul-africana por 2 a 1. No entanto, a atuação do árbitro Joseph Lamptey foi questionada. Ele anotou pênalti após um toque de mão da defesa senegalesa, quando câmeras de televisão mostraram claramente que a bola atingiu a perna do jogador.

O ganês foi banido do futebol profissional pelo Comitê Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) por manipulação de resultados devido à polêmica, decisão que ratificou a sentença inicial do Comitê Disciplinar e de Apelações da própria Fifa pelo banimento do árbitro.

Líder da chave, agora com 11 pontos, Senegal não pode mais ser alcançado na última rodada do qualificatório por Burkina Faso ou Cabo Verde, segundo e terceiro colocados do grupo, respectivamente, ambos com seis pontos.

O duelo remarcado entre sul-africanos e senegaleses foi definido na primeira etapa. Os donos da casa tiveram mais volume de jogo e ótimas oportunidades para marcar, mas foram surpreendidos logo nos primeiros minutos do confronto.

Aos 12 minutos, Senegal faz o primeiro com Diafra Sakho, atacante que atua pelo West Ham, da Inglaterra. O jogador recebeu ótimo passe na área e tocou com tranquilidade na saída do goleiro sul-africano Khune.

A África do Sul se reequilibrou e partiu para o ataque, impondo uma forte pressão sobre os visitantes. Aos 28 minutos, a seleção local colocou uma bola na trave do goleiro senegalês em um chute forte do meia Manyama.

Mas 10 minutos mais tarde, os senegaleses desceram em contra-ataque, a bola foi cruzada para meia Sadio Mané, jogador do Liverpool, que tocou para o gol. Khune defendeu, mas a bola bateu na cabeça do zagueiro Mkhize e morreu no fundo das redes.

Na rodada final do Grupo D, marcada para esta terça-feira, Burkina Faso e Cabo Verde se enfrentarão na cidade de Ouagadougou, capital de Burkina Faso. Já a lanterna África do Sul - que disputou apenas as Copas de 1998 e 2002, além da que sediou - irá se despedir das Eliminatórias exatamente diante de Senegal, em Dacar.

Além das três seleções africanas, as outras 21 classificadas para o Mundial são: Rússia (país-sede), Brasil, Bélgica, Inglaterra, França, Alemanha, Islândia, Polônia, Portugal, Sérvia, Espanha, Argentina, Colômbia, Uruguai, Costa Rica, Panamá, México, Irã, Japão, Coreia do Sul e Arábia Saudita.

Além da vitória de Senegal sobre a África do Sul por 2 a 0, fora de casa, que classificou os senegaleses ao Mundial da Rússia, as Eliminatórias Africanas tiveram mais um jogo nesta sexta-feira. Pelo Grupo B, a Nigéria, garantida antecipadamente na Copa, viajou para enfrentar a Argélia e ficou no empate por 1 a 1, pela sexta e última rodada.

Assim, os nigerianos encerram as Eliminatórias com 14 pontos em seis partidas. Foram quatro vitórias e dois empates contra Argélia, Camarões e Zâmbia. Os argelinos, que participaram do Mundial de 2014, no Brasil, desta vez ficaram na lanterna com apenas dois pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.