Senegal deve voltar a jogar em 60 dias

O volante Senegal tem 33 anos e já passou por 17 clubes na carreira. Hoje, porém, viveu a emoção de um novato. Após 77 dias afastado do futebol por um problema no coração, o jogador do Marília foi liberado pelos médicos e voltou a fazer atividade física no clube. Curado, deve disputar novamente um partida oficial daqui a 60 dias. O drama - agora com final feliz - de Senegal começou em 15 de dezembro. Exames de rotina em Marília apontaram uma alteração cardíaca. "Os primeiros dias foram terríveis. Foi o pior momento da nossa vida", diz a mulher do jogador, Eliane Cristina Albino, de 29 anos. "Os médicos não sabiam explicar direito o que estava acontecendo e diziam que, em casos assim, há grandes chances dele ter de abandonar o futebol para sempre." Trazido a São Paulo, exames mais profundos revelaram um processo inflamatório em parte do músculo cardíaco, provavelmente causado por virose. "Os indícios clínicos apontavam para uma inflamação por virose que provocava arritmias cardíacas, num processo semelhante ao detectado em vários atletas", diz Nabil Ghorayeb, cardiologista do Hospital do Coração (HCor) e especialista em medicina esportiva, que acompanhou os exames de Senegal. A recomendação, então, foi de repouso total. "Ele cumpriu tudo à risca", diz Elaine. "Não fez exercício algum, tomou antiinflamatório nos primeiros 30 dias e, aos poucos, ficamos sabendo que ele melhorou e poderia voltar." Na última sexta-feira, Senegal fez novos exames, que mostraram recuperação quase total. "Ele vai melhorar ainda mais, por isso está liberado, por enquanto, apenas para exercícios leves. A velocidade da recuperação foi uma surpresa positiva", diz Nabil. Hoje, em Marília, Senegal fez treinos físicos, com o objetivo de recuperar lentamente o condicionamento. Tudo será monitorado e serão realizados exames cardiológicos a cada 15 dias. O médico do Marília, Roberto Mizobuchi, diz que que o jogador vai trabalhar com o departamento físico, como se estivesse em início de temporada. "Dentro de 30 dias teremos um posicionamento mais definitivo", afirma o médico. A festa em Marília, porém, começou hoje. "Todos estão muito felizes no clube", diz o diretor de futebol Joaquim de la Torre. "Recebemos a notícia com todo o carinho. Além de ser um grande jogador, ele é uma pessoa muito querida de todos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.