Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Sequência contra times medianos é chance para o 'resgate' de Osorio

Técnico está cabisbaixo e já com discurso de saída no São Paulo

O Estado de S. Paulo

24 Agosto 2015 | 07h00

Juan Carlos Osorio quase jogou a toalha após a derrota para o Flamengo. Deixou no ar que pode entregar o boné após conversa com a família, mas ganhou respaldo da diretoria do São Paulo. Foi convencido por dirigentes a insistir em sua filosofia no clube e terá uma boa sequência de jogos para resgatar o time e também ser resgatado. São três rivais medianos e achance de reencontro com as vitórias.

O futuro do treinador colombiano que gosta de rodízio no time titular será decidido nos próximos 10 dias. E ele pode voltar ao céu ou descer de vez no inferno caso não consiga fazer o time dar a volta por cima. A começar por quarta-feira, no Castelão, diante do Ceará, pela Copa do Brasil.

Mesmo com derrota por 2 a 1 em casa, o São Paulo ainda é forte candidato para avançar às quartas de final. O time tem elenco melhor do que os oponentes e condições de reverter a desvantagem. Desde que sua defesa deixe de bobear. O problema é que os cearenses ganharam empolgação justamente após ganhar no Morumbi e já somam seis gols anotados nos últimos dois jogos, já que fez quatro no Paraná.

Depois são dois jogos contra equipes medianas no Brasileirão. Sábado recebe a Ponte Preta, apenas na parte do meio da tabela, e depois, no dia 2, visita o Joinville, na zona de rebaixamento. É ganhar e levar o sorriso de volta aos são-paulinos ou começar a arrumar as malas, com destino à Colômbia ou ao México, já que tem proposta da seleção azteca.

"Estamos no caminho certo e, se continuarmos com a mesma seriedade nas atividades do dia a dia, as vitórias voltarão", acredita o goleiro Renan Ribeiro.

  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.