Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Sequência deixa Dorival sem margem para erros e faz pressão se aproximar de Raí

Treinador do São Paulo balança no cargo e terá duelo decisivo na quarta contra o CRB, pela Copa do Brasil

Matheus Lara, O Estado de S.Paulo

27 de fevereiro de 2018 | 07h00

Os três jogos sem vitória do São Paulo fizeram o duelo desta quarta contra o CRB, pela Copa do Brasil, ganhar importância ainda maior no Morumbi. Principalmente para o técnico Dorival Junior, que balança no cargo e trabalha sob desconfiança da torcida e de parte da diretoria tricolor.

Bancado pela diretoria, Dorival comanda treino e segue no São Paulo

O Estado apurou que no bastidor a leitura é de que mesmo bancado pelo comando do futebol do clube, o treinador já não tem mais margem para erros. E ele sabe disso. Uma derrota na quarta pode causar sua demissão.

Mesmo um empate com o CRB pode fazer a pressão aumentar e se aproximar do executivo de futebol Raí, até então pouco questionado, uma das principais vozes a favor da manutenção de Dorival até aqui.

Pesa contra o treinador a sequência de jogos sem vitória. Já são três, duas derrotas, para Santos (1 a 0) e Ituano (2 a 1) e um empate, com a Ferroviária (0 a 0). Para a diretoria, um ponto em três jogos é muito pouco, mesmo nas condições adversas apontadas pela comissão técnica - pouco tempo para treino e elenco recém-reformulado.

Enquanto a torcida insiste na demissão do treinador, diretoria e jogadores o defendem publicamente, mostrando que o trabalho de Dorival tem confiança dentro do clube. A reação de 2017 é usada como exemplo de que o São Paulo pode reagir neste início de temporada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.