Ser vice mexe com emocional do Santos

Para o Santos, o pior já passou. O técnico Vanderlei Luxemburgo temia o jogo em Campinas, o primeiro de sua equipe desde a perda da liderança no campeonato, porque os jogadores poderiam sentir os efeitos de uma ?novidade?: a correr atrás do Atlético-PR na classificação.Aliviado com a apertada vitória, ele trabalha a equipe a partir de agora para o clássico de quarta-feira, contra o Corinthians, na Vila Belmiro. "Sabia que a performance técnica poderia não ser muito boa porque o time estava na liderança da competição há tempos e, de repente, saiu do primeiro lugar, com o Atlético-PR a ser apontado como favorito. Isso mexeu no emocional dos jogadores e eu sabia que a perda, mesmo que momentaneamente, poderia trazer uma insegurança nesse emocional". Por conta desse raciocínio, Luxemburgo entende que o importante não era jogar bem contra o Guarani. "O que importava era a vitória, para não deixar o Atlético se distanciar".Além dos dois últimos jogos, disputados fora de casa, Luxemburgo pensa também no clássico e no momento desconfortável do clube. "Por isso que falo tanto da Sul-Americana, que eu não queria estar", comentou, lembrando que a vitória sobre o Flamengo na disputa de pênaltis depois de conquistar o empate já no último minuto de jogo mexeu com a equipe porque "desviou as atenções do Campeonato Brasileiro".Segundo ele, os comentários de que o Santos e Flamengo foi o melhor do ano e a dificuldade do jogo prejudicaram seu time. "No jogo seguinte, contra o Atlético-MG, o grupo já não estava tão concentrado".Ressaltando que não é contra a Sul-Americana, mas comentou que essa competição tem interferência direta no emocional.Por conta da vitória sobre o Guarani, Luxemburgo entende que o resultado "foi fundamental porque se houvesse perdido o Atlético teria aberto seis pontos e teríamos de passar a torcer contra os adversários".Desfalque - O time inicia nesta segunda os treinamentos para enfrentar o Corinthians e André Luís irá cumprir suspensão automática pelo terceiro cartão amarelo que levou em Campinas. Com isso, Ávalos e Domingos formarão a dupla de zaga, embora haja uma possibilidade remota de Antônio Carlos, em tratamento médico, se recuperar a tempo de ser escalado.Robinho destacou que o Santos precisa continuar vencendo porque pretende voltar à liderança. "Sabemos que um hora o Atlético-PR vai perder e, por isso, temos de continuar fazendo nossa parte. Estamos no caminho certo", comentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.