Kai Pfaffenbach / Reuters
Kai Pfaffenbach / Reuters

'Será um grande teste para nossa seleção', diz Southgate antes de pegar Colômbia

Técnico da seleção inglesa minimiza passagem ruim de Falcao Garcia pelo futebol inglês

Gonçalo Junior, enviado especial / Moscou, O Estado de S.Paulo

02 Julho 2018 | 13h42

O técnico inglês Gareth Southgate considera a partida diante da Colômbia, pelas oitavas de final, como um grande teste para a seleção na Copa do Mundo. Depois de vitórias fáceis diante do Panamá e Tunísia e de uma derrota para a Bélgica, o treinador avalia que o time pode provar suas reais pretensões na Rússia. Na última partida da fase de grupos, a Inglaterra chegou a poupar jogadores em função do desgaste físico.

+ Liberado para ver nascimento do filho, Delph fica fora de jogo da Inglaterra

+ Zagueiro da Inglaterra elogia Colômbia, mas avisa: 'Estamos cheios de confiança'

"Será um grande teste para nossa seleção. É o momento em que os jogadores mostram que podem escrever sua própria história", afirmou o treinador em entrevista coletiva no estádio do Spartak, em Moscou, palco do confronto que começará às 15 horas (de Brasília) desta terça-feira.

Southgate disse que não se preocupa com a possibilidade de decisão por pênaltis. A Rússia, por exemplo, conseguiu sua vaga nas quartas de final após superar a Espanha por 4 a 3 - o goleiro Akinfeev defendeu duas cobranças. "Nós estamos muito concentrados no que vai acontecer durante o jogo. Precisamos estar concentrados nos tempo normal. Depois veremos se a cobrança de pênaltis for necessária", afirmou o treinador.

O comandante inglês elogiou a equipe colombiana, não apenas pelos talentos individuais, mas também pelo jogo coletivo. "Não podemos dar espaços para o time da Colômbia. Diante da Polônia, eles tiveram chances para jogar e criaram muitos problemas para os rivais", disse o técnico. "O treinador (José Pékerman) é muito experiente e conhece bem as características dos jogos de Copa do Mundo".

 

Questionado sobre a passagem discreta de Falcao Garcia pelo futebol inglês, o treinador afirmou que o colombiano sofreu com lesões que prejudicaram seu desempenho. "Ele teve momentos brilhantes no Atlético de Madrid, mas depois teve uma ruptura nos ligamentos (do joelho). Para o jogador se recuperar de uma lesão como essa, ele precisa de um ano mais ou menos. Não podemos analisar a carreira dele a partir da passagem pelo futebol inglês", afirmou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.