J F Diorio/Estadão
J F Diorio/Estadão

'Serão dois jogos de gigantes', projeta o técnico do Santos

Enderson Moreira esbanja confiança em derrubar o Cruzeiro nas semifinais da Copa do Brasil após agregado de 8 a 2 no Botafogo

Sanches Filho, Estadão Conteúdo

17 de outubro de 2014 | 08h09

A goleada por 5 a 0 no jogo de volta, nesta quinta-feira à noite, no Pacaembu, e o resultado agregado de 8 a 2 em cima do Botafogo nas quartas de final deixaram os santistas confiantes para superar o forte Cruzeiro nas semifinais da Copa do Brasil e para subir no Campeonato Brasileiro. Para os principais líderes do time, a atuação chegou perto da perfeição porque houve empenho dos atacantes na marcação e respeito ao adversário.

"O mais importante é que soubemos respeitar o Botafogo e jogar sério. Não fizemos ''firulinha'', buscamos marcar mais gols. O maior respeito pelo adversário é buscar mais gols. O Santos jogou muito bem na parte ofensiva e defensiva, então ficamos muito contentes", comemorou o capitão Edu Dracena, que cobrou mais seriedade e comprometimento dos atacantes depois da vitória por 1 a 0 sobre o Bahia, no último dia 9, e os riscos que o Santos passou de sofrer o empate nos minutos finais. Dracena ficou revoltado com o preciosismo de Gabriel, que desperdiçou várias oportunidades por querer jogar para a torcida.

A boa atuação santista mexeu até com o treinador Enderson Moreira, que costuma se esquivar das perguntas e dar respostas evasivas. "Serão dois jogos de gigantes", disse, a respeito das semifinais diante do Cruzeiro. "Espero que o Santos faça uma grande semifinal e chegue à decisão".

Lucas Lima, o melhor jogador em campo e autor do gol mais bonito da noite desta quinta, explicou que pediu para ser substituído aos 19 minutos do segundo tempo, por ter sentido "uma dorzinha", mas tranquilizou o torcedor, dizendo que foi mais por precaução. Sobre o gol, o meia disse: "A bola sobrou no meio e pude arrancar e concluir com felicidade".

Com os dois gols marcados nesta quinta, David Braz chegou a cinco em três jogos no Pacaembu, é foi outro destaque do time. O zagueiro agradeceu a Deus por estar no lugar certo na hora certa nos dois jogos e preferiu elogiar o time. "Nosso ataque tem jogadores leves e que vão para cima dos adversários o tempo todo. O pessoal da frente ajudou muito na marcação e o time foi perfeito".

Renato, que substituiu Lucas Lima, reencontrou os ex-companheiros de Botafogo, e revelou que o goleiro Andrey pediu para o Santos "aliviar" (parar de fazer pressionar), logo depois de Geuvânio ter marcado o quinto gol. "Em campo às vezes acontece esse tipo de conversa e realmente o Andrey veio falar comigo. Respondi que o Santos estava respeitando o Botafogo", ressaltou.

O próximo jogo do Santos será o clássico contra o Palmeiras, domingo às 16 horas, também no Pacaembu. Robinho, que não jogou nesta quinta por estar suspenso, volta, e provavelmente no lugar de Rildo. Aranha, que está recuperado de lesão e já treina, é dúvida, e Cicinho vai cumprir suspensão pelo terceiro cartão amarelo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.