Sérgio assume culpa pela derrota

"Errei. Peço desculpas, mas errei. Pedir desculpas à torcida é a única coisa que eu posso fazer agora, mas acho que não vai adiantar muito". Sérgio desabafou o jogo. O goleiro, que cometeu uma falha bisonha no gol de Jô, assumiu a responsabilidade pela derrota do Palmeiras para o Corinthians por 1 a 0, no Morumbi, neste domingo, em jogo válido pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro.O lance aconteceu aos 42 minutos do primeiro tempo. Após um escanteio cobrado da direita do ataque corintiano, Sérgio saiu em falso. A bola sobrou para Jô, que só completou de cabeça para o gol vazio. Desolado, Sérgio tirou o boné branco que usava, jogou longe, baixou a cabeça e se lamentou. Foi imediatamente consolado pelos companheiros. E, na saída de campo, evitou culpar o sol, que batia forte na sua cara, pela falha. "O sol não me atrapalhou, não. Fui eu que errei mesmo. A bola veio rodando, fui dar um soco, peguei mal e ela foi para trás. Paciência. Errei".A falha de Sérgio no gol de Jô lembrou outra do próprio goleiro contra o mesmo Corinthians, também no Morumbi. Em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro de 2001, Sérgio foi ofuscado pelo sol num escanteio cobrado por Renato. Resultado: gol olímpico do Corinthians, que acabou vencendo o jogo por 4 a 2.No segundo tempo, Sérgio procurou se redimir. Fez três defesas impressionantes, à queima-roupa. "Mas aí não adiantava mais. Por causa da minha falha, tentamos ir para cima na segunda etapa, mas o Corinthians foi inteligente, soube se defender e administrar o resultado", disse o goleiro.Para Sérgio, apesar de os jogadores do Corinthians terem criado as melhores chances de gol na segunda etapa, o Palmeiras merecia o empate. "Tivemos que abrir e eles apareceram nos contra-ataques, mas nos esforçamos bastante atrás do gol, que, infelizmente, acabou não saindo", disse. "Tentamos para valer. Não deu".Para o zagueiro Nen, a falha de Sérgio "foi uma infelicidade. O jogo estava tranqüilo, nosso time não estava sofrendo pressão, e o gol acabou saindo numa jogada isolada".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.