Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Sérgio controla empolgação palmeirense

Um dia depois de o volante Magrão falar que o Palmeiras pode, sim, pensar em título, o goleiro Sérgio tratou de conter a empolgação do grupo. O capitão da equipe disse nesta terça-feira que a meta deve continuar sendo a Copa Libertadores. Ele até já calculou o que é preciso para esse objetivo ser alcançado: "Temos dez jogos, sendo seis em casa. Se vencermos esses seis, garantimos a vaga."O Palmeiras tem 59 pontos. Se vencer os seis jogos projetados por Sérgio, vai a 77. No Brasileiro de 2003, o São Caetano, time que ficou com a quarta vaga na Libertadores, fez 74 pontos. O terceiro foi o São Paulo, com 78. Segundo o goleiro palmeirenseo, para que a classificação não fique em perigo "o ideal é, além de vencer os seis jogos em casa, conseguir mais alguns pontinhos fora".Para ser campeão, a situação é bem mais complicada. Segundo o matemático Tristão Garcia, são precisos 89 pontos para ficar com o título. Ou seja: o Palmeiras precisaria vencer todos os seus jogos para chegar a essa pontuação. "Temos de pensar na Libertadores. Isso já foi falado para o grupo", avisou Sérgio.Para chegar à Libertadores, o Palmeiras tem, teoricamente, um caminho menos difícil que o dos rivais. Além de jogar seis partidas em casa e apenas quatro fora, o time enfrenta adversários que não estão bem no torneio, como Botafogo (em casa), Grêmio (fora), Paysandu (casa), Figueirense (fora), Guarani (casa), Flamengo (casa), Criciúma (casa) e Fluminense (fora). Os jogos mais complicados seriam o de sábado contra o Atlético-PR, no Palestra Itália, e o de 5 de dezembro, contra o Goiás, em Goiânia.Sempre com os pés no chão, Sérgio trata de conter mais uma vez a empolgação palmeirense. "Esses times que vamos enfrentar parecem fáceis de serem batidos na teoria. Mas, na minha opinião, muitas vezes é aí que mora o problema, porque esses times dão o sangue para sair da zona de rebaixamento", disse o goleiro. "Não vejo moleza nenhuma em nosso caminho."Sérgio faz questão de deixar claro que o apoio da torcida também será vital para o Palmeiras conquistar a vaga na Libertadores. "O apoio até está existindo. Mas, às vezes, alguns jogadores jovens não conseguem assimilar uma certa pressão e o time não rende."O próprio técnico Estevam Soares fala constantemente sobre a urgência de se perder o que ele chama de "trauma" de jogar no Palestra Itália. O volante Marcinho concorda e vai além: "O problema é que a nossa torcida é impaciente. Se não fazemos o gol logo no início, eles começam a pressionar."Para o jogo de sábado contra o Atlético-PR, o segredo é "tentar fazer o gol logo no início, para ter mais tranqüilidade", segundo explicou Marcinho. O lateral Baiano e o volante Claudecir voltam de suspensão. O meia Elson e o atacante Thiago Gentil, recuperados de lesão, também devem estar à disposição de Estevam.

Agencia Estado,

19 de outubro de 2004 | 19h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.