Gerard Julien/AFP
Gerard Julien/AFP

Sergio Ramos diz que 'não há margem para erros' se Real quiser faturar o Mundial

Atual bicampeão do torneio, zagueiro espanhol destaca dificuldade da competição

O Estado de S.Paulo

17 de dezembro de 2018 | 16h35

Atual bicampeão, o Real Madrid sabe bem o caminho para o título do Mundial de Clubes. Em busca de um inédito tricampeonato, a equipe estreia nesta quarta-feira, em Abu Dabi, diante do Kashima Antlers, e o zagueiro Sergio Ramos, presente nas últimas duas conquistas, deu a receita para que um novo troféu seja erguido após a final de sábado.

"O Mundial de Clubes é uma recompensa pelo seu sucesso na temporada anterior. Dá a oportunidade para confirmar seu momento sendo campeão do mundo, e é uma experiência maravilhosa. Temos memórias realmente boas disso, porque tivemos sucesso em ocasiões anteriores. É uma competição curta e não há margem para erros. Há a semifinal e a final, e queremos levar o título para casa", declarou ao site da Fifa.

Em 2016, o Real passou por este mesmo Kashima Antlers na decisão, e em 2017, derrotou o Grêmio para conquistar o bi. O time espanhol é o grande favorito da edição deste ano, e Sergio Ramos admitiu que a experiência prévia pode ser definitiva para o sucesso na competição.

"Todas estas coisas são importantes. O Real Madrid tem muita história, mas não podemos nos apoiar demais nisso porque o histórico sozinho não vai vencer jogos. A cada edição, as coisas ficam mais justas, mas não há dúvidas de que a experiência é importante, e temos muita", considerou.

Para o zagueiro, nem mesmo a ausência de Cristiano Ronaldo muda o status de favorito do Real no torneio. "Acho que não haverá muita diferença em campo. Temos um time semelhante, apesar da perda do Ronaldo, que era um jogador muito decisivo para nós. Vamos competir do mesmo jeito que sempre fizemos. Vencer é sempre o objetivo."

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.