Série B: 11 técnicos já perderam emprego

Mesmo estando em sexto lugar no Campeonato Brasileiro da Série B, com 17 pontos ganhos, a diretoria do Brasiliense anunciou na noite de quinta-feira a demissão do técnico Reinaldo Gueldini. O treinador estava desgastado com os dirigentes e, após reunião, acabou deixando o clube. Para seu lugar a diretoria espera anunciar um treinador com conhecimento na Série B. O primeiro nome era de Luiz Carlos Ferreira, mas este não aceitou a proposta. As atenções agora estão voltadas para Vágner Benazzi. O treinador, que estava comandando o Figueirense no Brasileiro da Série A, tem 13 títulos em sua carreira e dois acessos para a divisão de elite do futebol nacional. Em 1999 e 2001 subiu Gama e Figueirense, respectivamente. Outro técnico que perdeu o emprego, quinta-feira, foi Lula Pereira, do Avaí, vítima da sua primeira derrota em casa para o América-MG, na terça-feira, por 1 a 0, no jogo marcado pela agressão do goleiro Fabiano ao juiz paranaense Marcos Tadeu Mafra. Até o início desta 11ª rodada já cairam 11 técnicos, numa média de um técnico por rodada. Confira: Júlio César Leal (Remo), Arnaldo Lyra (CRB), Paulo Roberto (União São João), Carbone (Joinville), Wagner Oliveira (América-MG), Ivair Cenci (Vila Nova), Luiz Carlos Cruz (União São João), Cristiano Baggio (Gama), Ricardo Drubscky (Caxias), Lula Pereira (Avaí) e Reinaldo Gueldini (Brasiliense) já haviam deixado o cargo.

Agencia Estado,

04 de julho de 2003 | 13h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.