Bruno Cantini / Atletico
Bruno Cantini / Atletico

Série negativa do Atlético-MG incomoda técnico: 'Torcedor está p..., nós também'

Time mineiro sofreu a sexta derrota consecutiva no Brasileirão; a pior marca negativa do clube é da edição de 1993, quando a equipe acumulou sete derrotas consecutivas na competição

Redação, Estadão Conteúdo

24 de setembro de 2019 | 09h16

Em sua segunda pior sequência na história do Campeonato Brasileiro, o Atlético-MG conheceu na segunda-feira a sexta derrota consecutiva ao perder para o Avaí por 1 a 0, no estádio da Ressacada, em Florianópolis, pela 20.ª rodada. O resultado negativo mandou o clube de Belo Horizonte para o 10.º lugar, com 27 pontos, mais distante do G-6, a zona de classificação para a Copa Libertadores. O técnico Rodrigo Santana se disse incomodado com a situação.

"A gente entende o torcedor, lamenta, sabe que o torcedor está p..., como nós também estamos, não dormimos. Mas quinta-feira (contra o Colón, pela Copa Sul-Americana) é o jogo da nossa vida e a gente precisa demais do torcedor para voltar o caminho de vitórias e classificar", afirmou o treinador, ainda de cabeça quente, na entrevista coletiva após a derrota em Santa Catarina.

A pior marca negativa do clube mineiro é da edição de 1993 do Brasileirão, quando a equipe acumulou sete derrotas consecutivas. Rodrigo Santana lamentou que essa nova sequência negativa tenha sido sob o seu comando. "É muito ruim para gente, é lamentável fazer parte dessa história. É difícil você ir bem nas duas competições. O foco fica, quer queira ou não, um pouco dividido. Viaja com um grupo para cá, viaja com outro para lá. Ninguém está trotando em campo, ninguém está de brincadeira. Estamos treinando com força, a fase no Brasileiro é ruim", disse.

Nesta quinta-feira, o Atlético-MG terá a partida decisiva contra o Colón, pelo jogo de volta da semifinal da Copa Sul-Americana. O time alvinegro perdeu o primeiro encontro por 2 a 1, na Argentina, e agora precisa vencer por um gol de diferença para conseguir a vaga na final do torneio continental.

"Eu não consigo ver, dentro de campo, alguém acomodado com essa derrota. São profissionais e pais de família que estão lutando. Até pouco tempo, a gente estava no grupo da Libertadores. É uma fase ruim, longa. A gente precisa sair dela urgente. Ninguém está acomodado porque tem a Sul-Americana. A gente tem consciência que estamos devendo muito no Brasileiro", comentou Rodrigo Santana.

"Sobre bastidores, nunca teve problema. Diretoria sempre atuou bem no dia a dia. A gente tem muita convicção do que estamos fazendo. Torcedor tem todo o direito de estar nervoso, mas só a gente pode sair dessa situação. Na quinta-feira, é o jogo da nossa vida. A gente precisa do nosso torcedor e nós vamos mudar essa história", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.