Seringas encontradas no quarto de Polga

A polícia sueca analisa o conteúdo de seringas encontradas no quarto que o zagueiro brasileiro Anderson Polga e o meia português Beto ocuparam enquanto o Sporting ficou concentrado em Malmoe, para o jogo de quarta-feira contra a equipe local, pela Copa da Uefa. O alerta foi dado por funcionários do hotel, que acharam o material durante limpeza de rotina e, por norma, são obrigados a alertar as autoridades. O resultado sai em duas semanas, mas o clube garantiu que se tratou de injeções de complexos vitamínicos.O caso foi bem explorado por jornais de Estocolmo. O Aftonbladet e o Sydsvenka Dagbladet confirmaram que a história foi parar na polícia por iniciativa de empregados do SAS Radisson, hotel ocupado pela delegação do Sporting. Agentes especializados em narcóticos recolheram as seringas - fala-se que havia em outros quartos também - e as levaram para laboratórios especializados. Além disso, antes da partida alertaram delegados da União Européia de Futebol, que não viram necessidade de submeter ao controle antidoping nenhum jogador do time português."Não temos nada a temer", garantiu Gomes Pereira, médico do Sporting. "Apenas demos reforço vitamínico para alguns atletas, que se queixavam de frio excessivo, já que a temperatura estava em torno de zero grau", explicou. "As vitaminas podem ser ingeridas ou ministradas pelas veias."Segundo Gomes Pereira, houve negligência da parte dele e de seus auxiliares por não terem recolhido as seringas. O médico, no entanto, não confirmou quais os jogadores beneficiados. O Sporting venceu por 1 a 0 e se classificou para a segunda fase da Copa da Uefa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.