Serra Negra é paraíso dos ?boleiros?

Não é apenas o técnico do Corinthians, Wanderley Luxemburgo, que gosta de levar seus jogadores até Serra Negra, localizada a cerca de 150 km de São Paulo. Na cidade, muitas pessoas dizem que o local se tornou o paraíso dos boleiros nos últimos anos. Não são poucos os técnicos e jogadores de futebol que visitam Serra Negra em dias de folga, para respirar o ar puro e apreciar a paisagem. Dos mais famosos, fazem parte da lista o técnico Luiz Felipe Scolari e o zagueiro Júnior Baiano. Quando trabalhavam em São Paulo, encontravam tempo para passar um fim de semana no local. Mauro Silva, que hoje atua no futebol espanhol, também era assíduo freqüentador da cidade nos tempos de Bragantino. "Muita gente ligada ao esporte costuma vir a Serra Negra", afirmou Felipe Pezzini, um dos proprietários da churrascaria Estância Gaúcha. "O próprio Wanderley Luxemburgo chegou, até, a comprar um apartamento aqui, mas depois o vendeu", acrescentou Pezzini.Serra Negra traz boas lembranças aos corintianos. A cidade recebeu o Corinthians durante quase todo o ano de 1998, quando o Corinthians conquistou o segundo título brasileiro da história. Logo no dia seguinte que assumiu o time, Wanderley Luxemburgo levou os jogadores ao local predileto. Neste ano, a virada começou em Serra Negra. Depois de se "isolar" por 10 dias no interior, a equipe começou a reação no Campeonato Paulista, conquistou a primeira vitória, contra a Internacional de Limeira, e deu uma arrancada para chegar à classificação.Os jogadores aprovaram. "É bom para o grupo, a gente se mantém sempre em contato e concentrado", comentou o volante Otacílio. A tranqüilidade da cidade também garante paz e liberdade. Jogar videogame e ver televisão são os passatempos prediletos dos corintianos. "O Kléber, eu, o Andrezinho e o Marcos Senna gostamos de ficar jogando", contou Ewerthon. O hotel em que a delegação se hospeda também oferece várias opções de lazer, como salão de jogos, piscina e quadras de tênis. Nesta quarta-feira, os jogadores fizeram treinos físicos e com bola, mas não havia número suficiente para um coletivo. Havia apenas 12. Os reservas ficaram em São Paulo para a partida contra o Flamengo-PI, pela Copa do Brasil. Eles viajam para Serra Negra nesta quarta-feira, após o jogo, acompanhados do técnico Wanderley Luxemburgo. O auxiliar técnico Herón Ferreira comandou os treinos. "Os jogadores têm o mesmo respeito por mim", garantiu Herón.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.