Shaqiri celebra boa fase e projeta duelo com Argentina

O jovem meia suíço fez três gols contra Honduras, e já pensa como será o confronto contra os portenhos em São Paulo

Agência Estado

25 de junho de 2014 | 20h34

Eleito o melhor em campo pela segunda vez em três jogos neste Mundial, Xherdan Shaqiri, de 22 anos, é o principal nome suíço na Copa. Jogador do Bayern de Munique, ele mostrou nesta quarta porque está no elenco da equipe alemã de Pep Guardiola e com três gols deu a classificação à sua seleção.

Shaqiri nasceu em Gjilan, no sudeste de Kosovo, filho de uma família de origem albanesa que emigrou para a Suíça quando ele ainda era pequeno. Ele cresceu na cidade de Augst, perto da Basileia, e começou sua carreira no pequeno SV Augst. Depois logo foi contratado pelo Basel, um dos maiores clubes do país. Mais tarde, em 2012, ele foi contratado pelo Bayern e atua em um dos elencos mais renomados do mundo. Em 66 jogos pelo clube da Baviera, já marcou 16 gols.

Assim como no primeiro jogo da Copa, contra o Equador, quando comandou a virada por 2 a 1 no estádio Mané Garrincha, em Brasília, Shaqiri mostrou nesta quarta desenvoltura na criação das jogadas e foi peça importante na marcação. Mesmo assim, ele fez questão de dividir a vitória com todos do elenco.

"O mais importante é que conseguimos vencer e aparecer como um time. Mostramos nossa interação em campo e foi uma coisa inacreditável o que fizemos. Muitas coisas são possíveis e temos mais uma decisão pela frente", disse Shaqiri, já fazendo uma projeção do confronto contra a Argentina.

Sobre sua atuação, ele mais uma vez fez questão de enaltecer a força do elenco de Ottmar Hitzfeld, mas admitiu toda sua alegria. "Quando fazemos uma Copa do Mundo num lugar como esse é realmente uma coisa maravilhosa (marcar três vezes). Não conseguimos dividir os gols entre outros jogadores, mas foi maravilhoso mesmo assim", disse ele ainda no gramado da Arena Amazônia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.